Rock N’ Roupas

André Lubesi

O Rock n Roll já teve varias caras desde seu nascimento no fim da década de 40, de lá pra cá o mesmo vem se reinventando, seja nas letras, nas formas de cantar e tocar, nos instrumentos e também na própria atitude deste movimento.

Falando em atitude, desde que a MTV apareceu, sempre que uma musica vira hit o seu vídeo clip esta lá para conhecermos a “lata” dos fulanos e seus modelitos de atitude, UM diferente do OUTRO, que é diferente do UM , que é diferente… mais meio parecido com o do… …..DO quem mesmo? (rsss).

Mais parando para pensar um pouco, algumas mudanças do Rock têm uma evolução lenta e acabam mantendo características de sua forma bruta, afinal qual é o roqueiro que ainda não foi visto usando jeans com uma jaqueta de couro preta. Mais como o papo aqui é musica, a proposta é “observá-las’’ identificando nas roupas suas diferentes épocas e onde pinta a atitude do bom e velho Rock n’ Roll .

Sinto que devo começar pelo Rei, claro! Elvis Presley foi o cara que deu inicio a tudo isso, sei que não foi ele o inventor da moda jovem, mais com certeza foi quem escancarou para o mundo um estilo rebelde com sua dança ousada e suas calças apertadas. O cara foi considerado imoral tanto na forma de dançar quanto na forma de se vestir (coitados! as pessoas que criticaram o Rei nem sabiam que um dia nasceria o TIRIRICA e a VALESKA POPOZUDA). Elvis mostrou a todos como se vestia o Rock n Roll quando usou calças pretas e uma camisa branca de colarinho, sem contar a jaqueta de couro.

Não gosto daquelas roupas de corpo inteiro toda desenhada que ele usou nos períodos de shows em cassinos de Las Vegas, é por isso que minha referencia de Rock Star do Rei esta no clip da musica Jailhouse rock (live) e pode ser encontrado por ai ate hoje; jaqueta de couro preta e calça de couro preta (heavy metal king).

E por falar em Heavy Metal, me lembro automaticamente da banda que é chamada de METAL GOD, o Judas Prist. Os caras fizeram um mix visual entre Elvis e o estilo motorcycle knight rider e confirmaram que o Rock n Roll e feito mesmo de couro preto (ta certo que eles cravejaram todo couro que passava na frente deles, isso devido as visitas  que o vocalista Rob Ralford costumava a fazer aos  sexy shops Londrinos). Gosto dos caras na fase de PAINKILLER, por isso só poderia indicar essa musica como referencia.

Mais ou menos na mesma época, correndo em paralelo, tínhamos um estilo mais leve, mais livre, mais solto, rsss…. é um belo bordão,  mais define bem o movimento Hippie. Essa galera pregava o amor livre e a paz mundial (quase coisa de miss universo), a alegria e intensidade das musicas era refletida também nas roupas. As camisetas psicodélicas e a calça jeans com boca de sino foram à marca registrada desse movimento que impulsionou uma geração.

Músicos como Jimi Hendrix, Janes Joplin e bandas como Led Zepelin mostravam sua musica e complementavam o visual do espetáculo com coletes, camisas bufantes, fitas na cabeça e vez em quando algumas flores a tira colo.

O exemplo que melhor define o movimento Hippie é o festival Woodstock, uma enxurrada minuciosa (coisas boas e coisas ruins também) de todos os aspectos que envolvem o movimento paz e amor.

Já estou falando de anos 70 e vou direto para década seguinte, por isso algumas pessoas vão sentir falta nesse artigo de Beatles e Roling Stones, Roberto e Erasmo, Ramones e Motohead e outros que mudaram o mundo da musica com suas melodias, mais tenho que lembrar que o foco de meus comentários esta nas roupas, nos modelitos que vagam pelas ruas e nos fazem lembrar musicas que estão vivas em nossas mentes.  Acho que um bom exemplo é a figura mais emblemática e que se destacou em carreira solo no inicio dos anos 80 (o Rei do PopRock Michel Jackson),

Quem tem mais de 30 anos lembra o que aconteceu quando Michael Jackson apareceu de jaqueta de couro vermelha no clip da musica Thriler, todo mundo queria uma jaqueta como aquela, virou febre. Me lembro que na escola todas as crianças apareciam com jaquetas de vários tipos, cores e modelos diferente.

Eu, particularmente gostava da segunda parte do clip Trhiler, quando Michael se transformava em zumbi e a mesma jaqueta do inicio do clip aparecia toda rasgada e destruída ( show, show, show… eu rasguei 2 jaquetas que minha mãe tinha acabado de comprar só pra ficar parecida com a dele….. claro que ficou uma porcaria… e eu apanhei!! ). E no clip de Beat it?…. outra jaqueta vermelha muito legal,  fora que os dançarinos também estavam usando jaquetas incríveis.

Bom, para quem ainda não viu o clip de Beat it (acho difícil isso!), de uma olhadinha no vídeo no final deste artigo, bastando clicar no link com o nome da música e aproveite pra curtir o solo de guitarra maravilhoso que Eddie Van Halen fez para essa musica.

Iniciando a década de 80 com Michael Jackson mais também com as bandas de Hard Rock, esse estilo musical nos trouxe um moda bisonha, de péssimo gosto, com roupas estranhas e cabelos que nem da pra comentar, mais com o passar do tempo as coisas ruins ( a grande maioria …rssss ) sumiram e a parte boa permaneceu.

Não estou questionando as criações dessas bandas, pois dessa época temos sons como Every Rose Has Its Thorn (Poison), Final Countdown (Europe) e I Wanna Rock (Twisted Sisters), porem a criatura é algo simplesmente bizarro, costumo dividir em três partes o que chamo de “Sobra boa do Hard Rock”.

Primeira parte: Camisetas com estampas de bandas (e as Groupies é claro). Hoje as estampas mais famosas são; Roling Stones, Iron Maiden e Guns n Roses, vejo no mínimo uma dessas todos os dias (as Groupies fizeram sua parte usando-as ou NÃO, assim ajudando na divulgação da sua banda favorita).

Segunda Parte: Bandanas e Lenços. Lenços ficaram marcados por Steven Tyler vocalista da banda Aerosmith e se transformaram em bandanas nas mãos de Axl Roses que é vocal do Guns n’ Roses. Facilmente vemos pelas ruas ou em eventos, pessoas usando lenços e bandanas com bonés, chapéus ou junto com outros adereços.

Terceira Parte: O Hard Rock Café (rsssss….. ai sim!!!).

 

Falando em Hard Rock Café e mantendo o conceito das roupas, pensei em uma forma de deixar um pouco mais Rock n’ Roll essa bebida tradicionalmente Brasileira, um belo cafezinho no Hard Rock Café de Seattle preparado com “pó de café brazuka, passado em um coador de pano feito com camisa xadrez velha, água aquecida em botas pretas de couro e um toque de ingredientes ilícitos. Deve ser servido em uma xícara grande trincada e não muito limpa, e a mesa deve ter toalhas remendadas com jeans surrado e definitivamente deve ser degustado ao som da musica Would? do Alice in Chains (isso sim é realmente um café amargo)”.

Não posso mentir, a década de 90 foi um período ótimo de minha vida, tudo fazia muito sentido, graças às bandas de Seattle não havia mais problemas em usar camisas de festa Junina com bermudas jeans para ir ao colégio. Brincadeiras a parte o Grunge trouxe um visual novo e jamais visto no Rock, a velha camisa xadrez nunca mais seria a mesma, essa peça tão comum do vestuário masculino refletiu toda angustia que girava em tornos deste movimento underground que explodiu no estado de Washington, apresentando ao mundo bandas como Nirvana, Alice In Chains, Pearl Jam, Soungarden, Stone Temple Pilots, Mudhoney, Screaming Trees entre outras.

Um forma otima para entender um pouco desse movimento é assistindo Singles-Vida de solteiro, esse filme traz musicas incrives das bandas locais (com participações dos musicos atuando), alem é claro de situações do cotidiano de uma juventude que esperimenta todo o glamour e agressividade de um  Rock n’ Roll cru e urbano.

Creio que a proposta deste artigo pode ser concluida somando as botas de couro dos Grunges, a calças de couro de Elvis, com jaquetas de couro de Michael, tudo isso metalmente cravejado e adicionado a uma camada extra de couro preto…. couraça Rock na pele!!! (Nossa.. ..agora bora trocar de roupa pra relaxar… rsssss).

 

Micheal Jackson – Beat It por lostinthe80s
 

Andre Lubesi tem formação técnica em eletrônica e é musico da banda Zorak

 

Clique aqui e veja mais artigos de André Lubesi

Andre Lubesi

Andre Lubesi é musico, tecnólogo, blogueiro e criador do site rocklist

Deixe um comentário