Geração Subzero

Débora Gimenes / Debby Lenon

Antes de começar a dar minhas opiniões (tendo visto as polêmicas dos últimos dias) sobre os textos preciso explicar algumas coisas.

  1. Não faço resenhas. O que faço aqui no blog é dar minha opinião como leitora. Aqui só falo de livros e filmes que prenderam minha atenção.
  2. As notas aqui no blog vão de 0 a 5. Alguns contos não levaram nota porque eu realmente não gostei, mas pela qualidade da escrita e pelas boas idéias não quis desmerecer o trabalho do autor.
  3. O fato de ter gostado menos de um ou outro conto, não significa que os mesmo são ruins. Autores, meu gosto por livros e filmes é diferente da maioria das meninas (falo isso, pois a mulherada está adorando um conto que eu não gostei).
  4. Não gosto de opinar sobre coletâneas, porém o livro Geração Sub-zero merece ter uma opinião completa (sim vou falar de todos os contos) e assim começo com minha visão geral. Geração Subzero como um todo merece uma nota 4.

E vamos aos contos.

O CÃO – Juva Batella – Gisela é uma estratégica pessimista, mas ao mesmo tempo é otimista ao extremo o que na soma a torna uma realista. Confuso? Eis que um dia o inevitável acontece e a dona de dois pastores se envolve numa aventura que termina com um final surpreendente. Ri muito. Confesso que eu por ter tido quatro pastores ao mesmo tempo estive numa situação parecida até certo ponto.

O autor esta de parabéns e merece uma nota 5.

CRISTAIS DE PRATA – Pedro Dummond – Essa história prendeu minha atenção até o último parágrafo, lágrimas surgiram aos meus olhos. Adoro histórias de amores proibidos. Antero se apaixona por uma senhora casada e tenta salvá-la de um marido violento e corrupto.

Uma jornalista encontra uma fotografia em seu móvel antigo e começa uma investigação para procurar a pessoa da foto.

O que Antero e a jornalista tem em comum? Talvez seus destinos estavam traçados desde o começo e assim o segredo do incêndio ocorrido em 1946 na Estação da Luz poderá ser solucionado.

Não gostei do finalzinho, mas não estragou a história. Nota 4.

A CANÇÃO DE MARIA – André Vianco – Li poucas coisas do Vianco, tenho um carinho especial por esse conto, pois ele é macabro na dosagem certa e diferente de outras histórias vampirescas que eu li.

Vianco sabe narrar muito bem. Nota 4.

Geração Subzero
Geração Subzero

NA MATERNIDADE – Thalita Rebouças – Esse foi o primeiro trabalho que eu li da autora. Não acho que ela escreva mal, porém o conto não me agradou. Talvez por se tratar de um tema que eu não suporto (futebol), ou por ser voltado para um público juvenil.

FOGO E TREVAS – Eduardo Spohr – O conto é cheio de ação um grupo bem eclético se depara com uma besta e unindo poderes, força e inteligência tentam derrotar “a fera”.

Tive a impressão do conto ser um capitulo a parte de um livro, tem começo e meio, mas o final é na realidade uma ponte para outra história ou até mesmo para muitas outras histórias. Nota 4.

O ÍNDIO NO ABISMO SOU EU – Luiz Bras – O futuro nos espera! Será? Você já imaginou como será o futuro daqui há uns 50 ou 100 anos? Será que qualquer pessoa de qualquer classe social terá chances iguais no futuro? Não haverá violência no futuro?

Como os médicos cuidarão de seus doentes? E as doenças terão cura? Uma pessoa em fase terminal pode ser congelada para num futuro ser descongelada e curada? Se fosse possível quando ela acordasse qual seria sua reação?

Nesse conto essas e outras perguntas são respondidas numa viagem espetacular. Minha nota é 5.

A FILHA DO DIABO – Luis Eduardo Matta – Eu adoro o trabalho do Matta, aqui no blog tem uma resenha do livro dele (O Dia Seguinte), porém esse conto me decepcionou um pouco, achei muito corrido. Descobri quem era o diabo assim que ele apareceu no livro.

Talvez se ele trabalhasse mais o suspense o conto ficasse perfeito. A ideia é boa.

DÊ-ME ABRIGO – Sérgio Pereira Couto – Um ex-soldado americano condicionado a matar ao som de Gimme Shelter muda-se para uma casa que ficou vazia por dois anos. Os protagonistas Paulo e Cristina vivem uma conturbada relação amorosa que tem um desfecho inesperado.

Adorei esse conto. Mencionei já que adoro amores proibidos, adoro relações conturbadas tudo o que é complicado e impossível tem um gostinho melhor. Talvez seja o que me agradou no conto, além de não ser fantástico.

Na minha opinião está entre os melhores. Nota 5.

AO CORTAR OS CORDÕES – Estevão Ribeiro – O diálogo entre um psiquiatra e sua paciente faz com que analisemos de forma sã (ou não) se somos marionetes impulsionadas por uma força maior.

Adorei o conto que deixa uma conclusão interessante no final. Nota 4.

O PRIMEIRO DRAGÃO – Raphael Draccon – Eu gostei muito do conto, apesar de ter momentos que achei estar vendo uma partida de RPG. Cada linha lida me deixava mais curiosa com o desfecho da história. Na minha mente imaginava os cidadãos destrinchados, aldeias inteiras queimadas. Senti a dor da emoção do protagonista com o corpo da amante grávida nos braços enquanto a chuva caía.

Essa é um exemplo de fantasia que não chama minha atenção, mas que por estar bem escrita me prendeu até o final. Nota 4.

O PREÇO DE UMA ESCOLHA – Ana Cristina Rodrigues – Num futuro não muito distante neo-humanos e humanos convivem sem problemas. Gonçalo um neo-humano perigoso escapa da vigilância e tenta retornar ao Brasil para vingar-se das pessoas que o desmascararam.Quando a caçada entre gato e rato começa Marcos um policial honesto é obrigado a fazer uma escolha que terá um preço caro.

Um excelente conto sci-fi a brasileira, com muita investigação policial.

Esse e o do Sérgio são os meus preferidos da coletânea. Nota 5.

POLACO – Julio Rocha – Matias vai para o Rio substituir um garoto que havia quebrado a perna. Sonhava em conhecer a praia e o baile funk. Sua aventura começa quando ele é confundido com um traficante da região.

Aqui ocorre o mesmo problema que aconteceu com o Matta, o conto é rápido podia ser mais trabalhado, pois a ideia é interessante quando eu comecei a ter gosto pela leitura ela acabou.

PARA SEMPRE EM UM DIA – Helena Gomes – Urraca perdeu seus parentes. Com o passar do tempo ela encontrou um amor e reconstruiu sua família. Em tempo de guerras e maldições a menina queria apenas ser feliz. Queria apenas ser amada. Quem (ou o que) é a garota?

Um conto de fantasia cheio de mistérios e monstros conhecidos pelo leitor.

E claro Urraca. Nota 4.

OUTRA VEZ NA ESCURIDÃO – Carolina Munhoz – Uma fada aparece na vida de uma cantora e tudo então tem um motivo especial.

Não está entre os meus preferidos, mas ele foi bem escrito, é diferente e está bem compreensivo. Nota 4.

A SABEDORIA DE CLEMENTINA – Vera Carvalho Assumpção – Clementina é mais esperta que doutores e senhores. Uma negra alforriada não se deixa levar por crendices e “milagres”.

O conto é engraçado e apesar de curto está bem contado. Nota 4.

ENTREVISTA COM O SACI – Martha Argel – Maria de Lourdes trabalha num asilo cuidando de tantos idosos que mal tinha tempo para dar a atenção que eles mereciam. Eis que ela simpatiza-se por seu Tião e resolve ouvir suas maluquices depois do trabalho.

Uma história deliciosa que nos leva ao folclore brasileiro e a nossa infância. Nota 5.

OUTRAS ONOMATOPÉIAS – Janda Montenegro – O conto tem altos e baixos.

Está muito bem escrito e a ideia é interessante. Nota 4.

O ESCRITÓRIO DE DESIGN PROBABILÍSTICO – Delfin – Não gostei. No começo achei até interessante, como o protagonista e a namorada se conheceram e se envolveram. Depois quando passa para o trabalho e começa a descrever o escritório o conto ficou chato.

UM CHÁ COM ALICE – Eric Novelo – Adorei o conto. Fiquei meia hora me olhando no espelho após viajar nesse conto delicioso.

Afinal quem não tem uma Alice interior e quando se olha no espelho tenta encontrar nem que seja um rastro dela? Nota 4.

A LUA É UMA FLOR SEM PÉTALAS. – Cirilo S. Lemos – A ideia do autor é legal, mas o conto é muito cansativo e longo.

Débora Gimenes/Debby Lenon estudou Letras e é escritora, é idealizadora e administradora dos blogs O Lado Oculto da Mente e do jornal eletrônico O Lado Oculto da Mente

Deixe um comentário