O Rato que Ruge

Massucatti Neto

E a corrida pelo voto começou…

                Não costumo comentar entrevistas nem tampouco dar espaço a quaisquer programas de televisão, muito menos aqueles que tem como carro forte a demagogia. Porém vejo a necessidade de pelo menos analisar o que na data de 07 de outubro de 2013 foi o primeiro ato de campanha política da presidente Dilma. Quanto ao apresentador todos sabemos que ele está anos luz distante do crítico e provocador que raivosamente batia com um cassetete na mesa, denunciando e se revoltando contra as desigualdades sociais, hoje empresário de sucesso e apresentador famoso está em uma situação confortável, a qual observo fez por merecer. Também pouco pode ser dito sobre o SBT, que comandada pelo ícone da televisão e empresário competente, que desde minha infância mostrou subserviência ao poder vigente. Lembram do espaço dominicais “a semana do presidente”. Portanto o fato de não se esperar dessa entrevista mais do que uma suave, repleta de sorrisos e mesuras e sem assuntos relevantes conversa entre amigos, não é de se estranhar; em uma nítida estratégia de mostrar uma pessoa do povo, simples, preocupada em, vejam os senhores (as) não ter um fogão, a Sra. Dilma comenta sobre a importância de um assunto relevante a Copa do mundo, e que os BRIC’s estavam mais preocupados em saber se seriam convidados para vir assistir do que assuntos pertinentes ao encontro, ora vejam vocês que a falta de seriedade política não é só nossa, ou nossos “parceiros”  talvez não levem nosso país a sério.

Corrida eleitoral 2014
Corrida eleitoral 2014

                 Tentando justificar  uma Copa do mundo em um país que pessoas morrem em filas de hospitais públicos, pais de família são assassinados pela marginalidade e crianças são prostituítas nas esquinas ao invés de estarem nas salas de aula, aliás salas de aula de escolas depredadas, abandonadas com professores mal pagos, ela diz que não foi investido dinheiro público na construção de verdadeiros jardins suspensos da babilônia, os quais após haja vista nossa organizada CBF administrar, com o tempo serão dilapidados e corroídos pelo abandono, tal qual na África, isso é pelo menos uma informação errada, há sim investimento do BNDS: http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2013/07/brasil-ja-desembolsou-r-28-bilhoes-com-copa-verbas-federais-respondem-a-80-dos-investimentos-329.html .

Nossa presidente disse que os investimentos feitos ficarão, pois está se investindo em mobilidade urbana, telecomunicações, saúde e educação.  Será, vocês estão usufruindo disso agora? Eu não. E se havia dinheiro para tudo isso agora, porque não foi feito antes?

                Continuando a conversa foi perguntado a presidente o que ela achava das manifestações, isso enquanto Rio e São Paulo enfrentavam uma um bando de anarquistas quebrando e destruindo o patrimônio público e privado, e ela com sorriso disse que era natural, pois as manifestações não pediam retrocesso a outras formas de governo, mas era natural um povo pedir mais, querer mais. Percebo uma certa satisfação da nossa presidente em ver a ordem pública ruir? E a meu ver os verdadeiros manifestantes que são abafados pelos anarquistas, não querem mais, querem o essencial que nunca tiveram, a questão não é que tivemos melhorias e como crianças mimadas queremos mais doce, a questão pleiteada pelo verdadeiros manifestantes é que queremos o que foi prometido e nada mais.

                Quanto a nossa malha ferroviária ela falou o obvio, que qualquer pais desenvolvido de proporções continentais tem uma malha ferroviária funcional e abrangente, os motivos do porquê na década de 50 começaram a destruir o sistema ferroviário comentarei oportunamente.

                 Depois ludicamente comentam sobre os pássaros que pairam sobre suas cabeças e sobre casas de joão-de-barro construídas no palácio, obvio que o passeio não seria completo se nossa presidente não fosse a Capelinha e mostrasse a imagem de nossa senhora, deixando claro sua religiosidade. Mas não era ela uma ferrenha combatente pelo comunismo na década de 60, e não é a ideologia comunista ateia em sua essência? Que mudança não?

                 Senhores e senhoras, portanto fica claro que essa “entrevista”, que mais me pareceu um encontro entre amigos, não teve e desde de seu planejamento não tinha interesse em abordar assuntos provocativos ou questionar os problemas, que desde de sua fundação o PT prometia resolver, não senhores(as) foi claramente o primeiro passo, o tiro inicial para a corrida pelo poder, talvez preocupada com a atual aliança entre a  Sra. Marina Silva com o Sr. Aécio e com a debandada do PSB das fileiras do governo.

                 Em se tratando do comunicador é interessante que as coisas continuem como estão. Afinal como falar mal da política e de políticos, como fazer comentários carregados de emoção e revolta, se tudo não estiver como antes, como o rato rugirá sem ter assunto?

Massucatti Neto

Massucatti Neto é profissional de segurança privada, entusiasta de assuntos polemicos e um inestimável amigo a mais de quarenta anos

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.