Intervenção Militar, Você Sabe o que Pode Acontecer?

Gilberto Vieira de Sousa

..

O atual governo brasileiro é autoritário e composto por pessoas que tem como doutrina o comunismo, seguindo os preceitos deste regime como fanáticos religiosos o fazem.

Além de serem aliados dos piores exemplos de líderes do planeta, como Fidel Castro, Raúl Castro, o falecido Hugo Chaves, Nicolas Maduro, Evo Morales, entre tantos outros, também são aliados de criminosos como Cesare Batisti e os integrantes da narcoterrorista FARC.

É certo que se pudessem se aliariam a Mussolini, Hitler, Bim Laden, Pablo Escobar e outros criminosos que a história nos mostra.

..

lula_com_mahmoud

..

A grande mentira da esquerda brasileira é dizer que luta pela democracia, pois na realidade o que querem é implementar no Brasil a ditadura do proletariado, um dos regimes de governo mais nefastos já criados e que não traz nenhum benefício para a população.

O Comunismo traz a falta de liberdade ao cidadão, que vive sem poder sair do país, sem ter acesso a informações, pois a censura é ferrenha, sem poder ter liberdade de opinião, pois os governos comunistas tem tradição de prender e matar seus opositores ideológicos, também o regime traz consigo o caos moral, social, econômico, educacional e porque não dizer espiritual.

O governo brasileiro vem sendo líder do Foro de São Paulo que quer cubanizar toda a América Latina, transformando nosso continente em um continente presídio, como é hoje a ilha dos Castro.

Em face deste terrível perigo que é a implantação do comunismo no país, as pessoas mais atentas, mais íntegras e mais inteligentes, pedem que as forças armadas façam uma intervenção militar no governo.

Mas será que as pessoas que pedem isto sabem realmente como é que as intervenções acontecem e quais as consequências?

Em primeiro lugar temos que atentar para o fato de que o governo petista é composto majoritariamente por bandidos inescrupulosos e fanáticos, tanto é que temos no governo muitos ex-guerrilheiros, que mataram sem ressentimento muitos inocentes, apenas para tentar transformar o Brasil em uma grande Cuba. Estes mesmos que hoje aceitam dinheiro do tráfico de drogas para se manter no poder. Os mesmos que assassinaram seus próprios companheiros, tanto na época das guerrilhas, como fizeram a pouco com o ex prefeito Celso Daniel.

As pessoas que pedem a intervenção militar são em sua maioria pessoas de bem, que produzem a riqueza deste país com seu próprio trabalho e conservam os preceitos da família tradicional e os bons costumes, como a verdade, a honestidade e o bom caráter.

.

panfleto-da-macha-da-famili

..

Em 22 de março de 2014 está sendo agendada a “Marcha da Família com Deus pela Liberdade”, reivindicando que os valores morais da família brasileira sejam respeitados e que se for preciso, as Forças Armadas tomem o poder, repetindo o que foi feito em 1964, quando a primeira marcha clamou pelos mesmos motivos que tirassem do poder o comunista João Goulart.

Finalmente a sociedade esclarecida está se mobilizando.

Concordo que se de fato houver uma intervenção militar e a presidÂnta Dilma, seu vice e todos os criminosos do congresso nacional, do judiciário e dos partidos de esquerda forem afastados, será um benefício imensurável para o Brasil, que está afundando em corrupção e conceitos humanos distorcidos, porem não há remédio sem efeito colateral.

Vou tentar descrever os principais passos de uma intervenção militar e suas consequências.

Primeiro tem que ficar bem evidenciada a necessidade da intervenção, seja por pedido popular, com as pessoas na rua ou através do pedido formal do congresso nacional e/ou do Supremo Tribunal Federal.

Feito isto as Forças Armadas destacarão uma tropa do exercito que de maneira sutil cercará o Palácio do Planalto e prenderá a PresidÂnta, seu vice, algumas pessoas importantes que devem ser isoladas e mantidas em prisão domiciliar até a corte efetuar o julgamento e optar pela prisão e/ou deportação.

O mesmo acontecerá na Esplanada dos Ministérios e em algumas outras dependências governamentais.

Antes que o exército chegue aos principais aliados fora do distrito federal, a imprensa já terá dado o alerta, seja via rádio, via TV ou o mais rápido, via internet, dando assim a chance de muitos dos comunistas ativos fugirem e se esconderem por este imenso país.

A força Nacional, que é o braço armado da Presidência da República, será rapidamente acionada pelos aliados do governo federal para tentar impedir a ação militar e assim acontecerá o primeiro confronto armado da operação.

Durante o espalhar desta notícias pelo país, os governadores de cada Estado irão se posicionar de acordo com suas convicções políticas e assim os que forem aliados ao governo federal acionarão a polícia militar do estado para enfrentar as tropas militares federais, porém nem todos os militares estaduais concordarão e haverá o primeiro racha nestas instituições, assim como haverá racha por conta de muitos militares estaduais de estados de oposição, não concordarem em apoiar os militares federais. Haverá deserções, quebra de hierarquia e confrontos internos.

Os oficiais militares de vários estados se desentenderão, causando alguns distúrbios.

..

confronto-pm

..

As associações de classe, sindicatos, movimentos dos sem terra, sem teto, sem carro, sem trem irão para as ruas, com seus militantes para quebrar, queimar, destruir, paralisar e causar o maior número possível de distúrbios, uns por conta da ideologia e outros porque não querem perder a boquinha dos cabides de emprego e verbas fáceis e para um sindicalista o pior castigo é o medo de ter que trabalhar para sobreviver.

Serão sabotados os meios de transporte, instalações de abastecimento de água, energia elétrica, telefonia e internet.

Vários grupos de esquerda iniciarão saques a lojas, supermercados e quebrarão bancos, postos da polícia, escolas, postos de saúde e hospitais, além de bloquear estradas e avenidas.

Haverá por parte de sindicatos e partidos de esquerda, como o PCO, PSTU, PSOL, PCdoB, PCB invasão de empresas privadas, parando a produção, agredindo funcionários e em alguns casos incendiando o local.

Fora dos grandes centros, propriedades rurais serão invadidas, plantações serão destruídas e animais serão mortos.

Muitos estudantes, já imbecilizados pelos dogmas esquerdistas, principalmente aqueles que já hoje pedem para que a policia saia dos campos universitários para que eles possam fumar maconha em paz, sairão às ruas em passeatas, pichando muros, quebrando telefones públicos, pontos de ônibus, vidraças, carros e fazendo todo tipo de vandalismo.

Vários marginais se aproveitarão da situação de caos para cometerem toda espécie de crime, como assaltos, assassinatos, estupros e assim por diante.

..

derrubam-helicoptero

..

Sendo que toda ação tem uma reação, as Forças armadas revidarão, na tentativa de abafar as manifestações, os crimes e as sabotagens e neste conflito haverá muitos mortos e feridos, além de todo prejuízo material.

Durante os últimos anos houve um aparelhamento da máquina estatal, onde no regime de cabide de emprego foram colocados militantes de esquerda em diversos pontos estratégicos de todas as áreas do Estado. Em uma intervenção, lembrando o que eu disse no começo que estamos tratando com marginais, haverá sabotagens em todos os serviços públicos do país, realizada por funcionários militantes da esquerda e obedientes a causa comunista, o que trará à população a sensação de que o sistema funcionava melhor na época do desgoverno petista.

Esta situação poderá levar meses e o país inteiro ficará uma imensa bagunça, com violência e desinformação para todos os lados, além da falta de itens básicos, será um cenário de guerra.

Alguns aliados do Governo deposto trarão soldados clandestinos, de Cuba e/ou Venezuela, com armamento pesado o suficiente para enfrentar nossos militares.

Alguns esquerdistas aprendizes do Marighela ficarão escondidos, esperando a poeira baixar para então iniciarem atos terroristas, com carros bomba e sabotagens diversas.

É bem provável que grandes traficantes utilizem seus soldados para causarem mais caos.

Com toda a depredação de patrimônio público, privado e os danos à produção, os governos municipais, estaduais e federal, além das empresas e pessoas físicas, terão que consertar o que for de maior prioridade, gerando falta de muitos itens de construção civil, causando inflação e ágil destes produtos. O mesmo acontecerá com itens básicos de alimentação, limpeza, higiene pessoas e medicamentos, além dos combustíveis, pois até que se normalizem as produções industriais e rurais haverá escassez.

..

folhasp-caminhonete_ft

..

O Brasil é muito grande e o contingente policial e militar é tão grande quanto, por este motivo sabemos que nem todos os agentes de segurança pública tem o preparo ideal para um conflito desta magnitude, incluindo o preparo psicológico, então poderemos esperar que haverá, por parte dos menos preparados e/ou menos equilibrados algum abuso, como há em qualquer país que passe pela mesma situação.

Após esta fase, as engrenagens do país voltarão a funcionar normalmente e continuaremos a ver, vez por outra, algum marginal de esquerda tentando fazer arruaças, pregando que a classe média não é composta por trabalhadores, que os grandes empresários não trabalham e só exploram seus funcionários, que só Fidel liberta e assim por diante.

É certo também que após a crise nossa liberdade de ir e vir estará garantida, teremos mais segurança que hoje e mais liberdade também. Nossas escolas serão melhores e a infraestrutura de nosso país voltará a ser cuidada.

Só espero que os militares não cometam os mesmos erros do passado, confiando parte da administração aos mesmos ratos que usurparam os cofres públicos durante o regime de exceção.

Pode ser que a situação demore alguns anos para chegar ao equilíbrio e então nós brasileiros, de memória fraca e que não tem muito apego pela história, acreditaremos que o país ideal é o das eleições diretas e elegeremos para nos governar os senhores Sarney neto, Collor Neto, Maluff Neto, Kassab Neto, Lula Neto e assim estaremos novamente na mesma situação daqui a cinquenta anos.

Adendo:

No cenário que descrevi, estou contando apenas com fatores internos, mas Há o risco de em uma situação de conflito político, algum palaciano recorrer a seus pares estrangeiros e engrossar o caldo de conflitos, por exemplo o PT pedir ajuda à Cuba, Venezuela, Coreia do Norte, Rússia, China e estes países enviarem seus guerrilheiros e Forças Armadas para combater as FFAA daqui. Sendo que neste caso, o conflito se daria em esfera mais destrutiva, mais violenta, mais onerosa e por um período mais longo.

Abaixo deixo mais uma imagens complementares, apenas para ajuda-lo a pensar.

..

atentado-riocentro  FOROSP,JPG delfimRoubo-ao-adhemar terroristas todosdilma terrorista saudadeFHCFidelChavez Curriculum_Vitae___Dilma_Roussefitamar-lula-fhc-sarneyserragio

Gilberto Vieira de Sousa é Jornalista (MTB 0079103/SP), técnico em Sistemas de TV Digital, Fotografo Amador, Radioamador, idealizador e administrador do site GibaNet.com

31 Responses to "Intervenção Militar, Você Sabe o que Pode Acontecer?"

  1. Jornalsta Lino Tavares
    Jornalsta Lino Tavares   09/03/2014 at 21:01

    Parabéns, caro Giba. Você pinçou muito bem o quadro de uma eventual intervenção militar com seus prós e contras, já que não se faz omelete sem quebrar ovos. Teoricamente é exatamente assim como você falou. Mas temos que levar em consideração a sistemática de ação daqueles que comandariam esse movimento de depuração do nosso poder infestado de víboras peçonhentas . Se fizerem com moderação, sem truculência e só atingindo o alvo, que são os canalhas encastelados, usando os meios de comunicação com sabedoria, para dizer ao povo que a intervenção é saneadora e não com objertivo ditatorial, a reação popular será menos traumática, pois as pessoa bem intencionadas logo entenderão a operação e, mesmo que não se juntem às forças intervencionistas, também não se colocarão contra elas. Foi dentro dessa linha que a Revolução Democrática de 31 de março de 1964revestiu-se de êxito, evitando derramamento de sangue e, uma vez no poder, conquistando o apoio popular através da ARENA, que vencia eleição populares de ponta a ponta. Infelizmente não vejo outro caminho para salvar o Brasil desse golpe que está sendo preparado pelas esquerda, no sentido de torpedear a democracia, acabando com o estado de direito e transformando a população num contingente gigante de subalternos do poder. Imaginar que a solução poderia ser buscada pela via pacífica, revertendo esse quadro nas urnas,m é no mínimo uma ingenuidade, pois as eleições que temos já não são confiáveis, porque a Justiça Eleitoral, assim como o STF, está nas mãos do poder e, como se não bastasse, a urna eletrônica, que equivale a um computadorzinho de parcos recursos tecnológicos, é um convite à fraude eleitoral.

    Responder
    • Gilberto   09/03/2014 at 22:41

      Lino, eu sei que se depender de nossas Forças Armadas não haverá a necessidade de nenhuma forma de truculência, nem um grito seria dado, mas sabemos que a militância doente da esquerda é como os fanáticos do Talibã e levam o partido como se fosse uma religião de radicais, ou seja, não tem inteligência naquelas almas, apenas o instinto de agressão e é por isto que digo que haverá arruaça, sabotagem, quebradeira e os militares terão que responder à altura.

      Responder
  2. Massucatti Neto
    Massucatti Neto   09/03/2014 at 21:12

    Giba, já pensei várias vezes sobre as consequências de uma intervenção , e por causa disso fui a principio muito resistente a isso, conheço bem os efeitos até por conta da minha formação militar mas infelizmente pelo meio democrático não chegaremos a lugar nenhum.
    Mas espero que dessa vez seja feita a justiça e tal qual foi em nuremberg os culpados sejam presos, julgados e condenados, ou à morte ou prisão perpétua, pois se não arrancar a erva daninha pela raiz ela nasce de novo, a seguir o estatuto usado em nuremberg:

    O procedimento deve ser o seguinte:
    a) Será lida a acusação;
    b) O tribunal interrogará cada um dos acusados sobre se se considera culpado ou inocente;
    c) O acusador exporá a sua interpretação da acusação;
    d) O tribunal perguntará à acusação e à defesa sobre as provas que desejem apresentar ao tribunal e decidirá sobre a conveniência da sua apresentação;
    e) Serão ouvidas as testemunhas de acusação. A seguir as testemunhas de defesa;
    f) O tribunal poderá dirigir a todo momento perguntas às testemunhas ou acusados;
    g) A acusação e a defesa interrogarão todas as testemunhas e acusados que apresentem uma prova e estão autorizados a efetuar um contra-interrogatório;
    h) A defesa tomará a seguir a palavra;
    i) O acusado dirá a última palavra;
    k) O tribunal anunciará a sentença…”

    Que seja feita a justiça, se forem brandos como antes eles voltam e mais vingativos.

    Responder
    • Gilberto   09/03/2014 at 22:45

      Neste caso eu não sou a favor da prisão perpetua, pois sempre há o risco de anistia e estes marginais voltam às ruas.
      Melhor mesmo é a execução sumária, como os regimes comunistas fazem.

      Responder
  3. Massucatti Neto
    Massucatti Neto   09/03/2014 at 21:22

    podem perguntar o porquê do meu radicalismo em julgar por crimes contra a humanidade esses que se dizem salvadores da pátria, oras eles sempre julgaram e agiram como bem entenderam a pena de morte existe no comunismo, eis os nomes de algumas vitimas da intentona comunista e dessa corja, que tenhamos o mesmo dó que eles tiveram a mesma misericórdia:
    BERNARDINO PINTO DE ALMEIDA

    Em 1935, ainda antes da Intentona, Honório de Freitas Guimarães (“Milionário”), membro do CC/PCB, denunciou Bernardino Pinto de Almeida, vulgo “Dino Padeiro”, de traição.O “Tribunal Vermelho”, cioso de suas atribuições, julgou-o culpado e perigoso para a ação armada que se avizinhava.O próprio Secretário-geral do Partido, Antonio Maciel Bonfim, o “Miranda”, decidiu executá-lo, com o auxílio de seu cunhado, Luiz Cupelo Colônio.”Dino Padeiro”, deslumbrado com a possibilidade de encontrar-se com o número um do Partido, foi atraído para um local ermo, próximo à então estação de Triagem da Central do Brasil, no Rio de Janeiro.Fora das vistas, “Miranda” desfechou-lhe uma coronhada e, em seguida, dois tiros de revólver. Tendo a arma enguiçado, tomou a de Cupelo e desfechou-lhe mais dois tiros, para ter a certeza da morte.Entretanto, por incrível que pareça, “Dino” sobreviveu e, socorrido por funcionários da ferrovia, pôde contar sobre a tentativa de crime.Ironicamente, o destino deu voltas.Mais tarde, Cupelo sentiria, em sua própria família, o peso da violência.

    – AFONSO JOSÉ DOS SANTOS

    Em 2 de dezembro de 1935, com os militantes do PCB entrando na clandestinidade pela derrota da Intentona, o “Tribunal Vermelho” julgou e condenou à morte Afonso José dos Santos.A vítima foi delatada por José Emídio dos Santos, membro do Comitê Estadual do PCB no Rio de Janeiro, que recebeu o encargo da execução.Três dias depois do “julgamento”, José Emídio cometia o assassinato, na garagem da Prefeitura de Niterói.Impronunciado por falta de provas, só em 1941 o crime foi esclarecido.

    – MARIA SILVEIRA

    Elisiário Alves Barbosa, militante do PCB, quando estava na clandestinidade em São Carlos, cidade do interior paulista, apaixonou-se pela também militante Maria Silveira, conhecida como “Neli”.Indo para o Rio de janeiro, o próprio Elisiário, após algum tempo de militância, acusou “Neli” de não mais merecer a confiança do Partido.O “Tribunal Vermelho” condenou-a à morte.Planejado o crime, os militantes Ricarte Sarrun, Antonio Vitor da Cruz e Antonio Azevedo Costa levaram-na, em 6 de novembro de 1940, até à Ponte do Diabo, na Estrada do Redentor, na Floresta da Tijuca.No transporte, usaram o táxi dirigido por Domingos Antunes Azevedo, conhecido por “Paulista”.Logo ao chegar, “Neli” foi atirada da Ponte do Diabo por Diocesano Martins, que esperava no local. Mas, havia a possibilidade de que ela não morresse na queda. Para certificar-se da morte, Daniel da Silva Valença aguardava no fundo do abismo.”Neli”, entretanto, já chegou morta. Foi esquartejada por Valença, que procurou torná-la irreconhecível a fim de dificultar a identificação e apagar possíveis pistas.

    – DOMINGOS ANTUNES AZEVEDO

    Dois meses depois, os assassinos de “Neli” estavam preocupados com a possível descoberta do crime.Em 20 de janeiro de 1941, reunidos, verificaram que o ponto fraco era o motorista do táxi, Domingos Antunes Azevedo.Decidiram eliminá-lo.Antonio Vitor da Cruz e Antonio Azevedo Costa, “amigos” do motorista, atrairam-no para um passeio na Estrada da Tijuca.Foram também, Diocesano Martins e Daniel da Silva Valença, este sentado ao lado do motorista.Num local em que o táxi andava bem devagar, Diocesano desfechou três tiros na vítima, que tombou de bruços sobre o volante.Valença freiou o carro e o cadáver foi atirado à margem da estrada.Segundo eles, os assassinatos de “Neli” e do “Paulista”, em nome do Partido Comunista, jamais seriam descobertos.Esses foram alguns dos crimes cometidos pelo PCB, há mais de 60 anos. Mais tarde, muito mais tarde, esse Partido de Prestes não iria juntar-se às dezenas de organizações comunistas que defenderiam a sangrenta luta armada como o único caminho para a tomada do poder.

    – O ASSASSINATO DE ELZA FERNANDES

    Desde menina, Elvira Cupelo Colônio acostumara-se a ver, em sua casa, os numerosos amigos de seu irmão, Luiz Cupelo Colônio. Nas reuniões de comunistas, fascinava-se com os discursos e com a linguagem complexa daqueles que se diziam ser a salvação do Brasil. Em especial, admirava aquele que parecia ser o chefe e que, de vez em quando, lançava-lhe olhares gulosos, devorando o seu corpo adolescente. Era o próprio Secretário-Geral do Partido Comunista do Brasil (PCB), Antonio Maciel Bonfim, o “Miranda”.Em 1934, então com 16 anos, Elvira Cupelo tornou-se a amante de “Miranda” e passou a ser conhecida, no Partido, como “Elza Fernandes” ou, simplesmente, como a “garota”. Para Luiz Cupelo, ter sua irmã como amante do secretário-geral era uma honra. Quando ela saiu de casa e foi morar com o amante, Cupelo viu que a chance de subir no Partido havia aumentado.Entretanto, o fracasso da Intentona, com as prisões e os documentos apreendidos, fez com que os comunistas ficassem acuados e isolados em seus próprios aparelhos.

    Nos primeiros dias de janeiro de 1936, “Miranda” e “Elza” foram presos em sua residência, na Avenida Paulo de Frontin, 606, Apto 11, no Rio de Janeiro. Mantidos separados e incomunicáveis, a polícia logo concluiu que a “garota” pouco ou nada poderia acrescentar aos depoimentos de “Miranda” e ao volumoso arquivo apreendido no apartamento do casal. Acrescendo os fatos de ser menor de idade e não poder ser processada, “Elza” foi liberada. Ao sair, conversou com seu amante que lhe disse para ficar na casa de seu amigo, Francisco Furtado Meireles, em Pedra de Guaratiba, aprazível e isolada praia da Zona Oeste do Rio de Janeiro. Recebeu, também, da polícia, autorização para visitá-lo, o que fez por duas vezes.

    Em 15 de janeiro, Honório de Freitas Guimarães, um dos dirigentes do PCB, ao telefonar para “Miranda” surpreendeu-se ao ouvir, do outro lado do aparelho, uma voz estranha. Só nesse momento, o Partido tomava ciência de que “Miranda” havia sido preso. Alguns dias depois, a prisão de outros dirigentes aumentou o pânico. Segundo o PCB, havia um traidor. E o maior suspeito era “Miranda”.

    A reação do “Cavaleiro da Esperança” foi imediata. No dia seguinte, escreveu uma carta aos membros do “Tribunal”, tachando-os de medrosos e exigindo o cumprimento da sentença. Os trechos dessa carta de Prestes, a seguir transcritos, constituem-se num exemplo candente da frieza e da cínica determinação com que os comunistas jogam com a vida humana:

    “Fui dolorosamente surpreendido pela falta de resolução e vacilação de vocês. Assim não se pode dirigir o Partido do Proletariado, da classe revolucionária.” … “Por que modificar a decisão a respeito da “garota”? Que tem a ver uma coisa com a outra? Há ou não há traição por parte dela? É ou não é ela perigosíssima ao Partido…?” … “Com plena consciência de minha responsabilidade, desde os primeiros instantes tenho dado a vocês minha opinião quanto ao que fazer com ela. Em minha carta de 16, sou categórico e nada mais tenho a acrescentar…” … “Uma tal linguagem não é digna dos chefes do nosso Partido, porque é a linguagem dos medrosos, incapazes de uma decisão, temerosos ante a responsabilidade. Ou bem que vocês concordam com as medidas extremas e neste caso já as deviam ter resolutamente posto em prática, ou então discordam mas não defendem como devem tal opinião.”

    Ante tal intimação e reprimenda, acabaram-se as dúvidas. Lauro Reginaldo da Rocha, um dos “tribunos vermelhos”, respondeu a Prestes:

    “Agora, não tenha cuidado que a coisa será feita direitinho, pois a questão do sentimentalismo não existe por aqui. Acima de tudo colocamos os interesses do PCB.”

    Decidida a execução, “Elza” foi levada, por Eduardo Ribeiro Xavier (“Abóbora”), para uma casa da Rua Mauá Bastos, Nº 48-A, na Estrada do Camboatá, onde já se encontravam Honório de Freitas Guimarães (“Milionário”), Adelino Deycola dos Santos (“Tampinha”), Francisco Natividade Lira (“Cabeção”) e Manoel Severino Cavalcanti (“Gaguinho”).

    Elza, que gostava dos serviços caseiros, foi fazer café. Ao retornar, Honório pediu-lhe que sentasse ao seu lado. Era o sinal convencionado. Os outros quatro comunistas adentraram à sala e Lira passou-lhe uma corda de 50 centímetros pelo pescoço, iniciando o estrangulamento. Os demais seguravam a “garota”, que se debatia desesperadamente, tentando salvar-se. Poucos minutos depois, o corpo de “Elza”, com os pés juntos à cabeça, quebrado para que ele pudesse ser enfiado num saco, foi enterrado nos fundos da casa. Eduardo Ribeiro Xavier, enojado com o que acabara de presenciar, retorcia-se com crise de vômitos.

    Perpetrara-se o hediondo crime, em nome do Partido Comunista.

    Responder
    • Gilberto   09/03/2014 at 22:47

      Obrigado Massucatti, estas são as informações que deveriam transitar na tal Comissão da Verdade, se ela fosse realmente da verdade.

      Responder
      • Helena   30/03/2014 at 23:08

        Comissão da verdade?? Desde quando a verdade só tem um lado??? Vão dar oportunidade dos militares também falarem?? E as famílias dos soldados militares e policiais que morreram no cumprimento de seu dever,serão ouvidas??? E serão indenizadas também???

        Responder
        • Gilberto   30/03/2014 at 23:34

          Helena, para quem quer impor uma ditadura do proletariado, a unilateralidade é a única ferramenta aceitável.
          Como dizia Lenin em seu manifesto comunista: “Para que a revolução comunista de certo, é preciso enganar o povo, criar o ministério da desinformação e agir sem dar voz aos opositores.”

          Responder
  4. Massucatti Neto
    Massucatti Neto   10/03/2014 at 00:54

    Essa comissão da verdade é a maior fraude desse país, isso são apenas alguns, são apenas algumas vítimas do maior crime criado, o comunismo, deve sim como disse ser dada pena capital a esses criminosos, realmente deixar um vivo é como deixar uma semente que pode germinar.

    Responder
  5. Ivani Medina
    Ivani Medina   10/03/2014 at 04:48

    Giba,
    Só posso deplorar este seu manifesto. Governo autoritário é o que vocês querem. Usar os militares para compensar a incompetência no jogo democrático, num flagrante elogio à superioridade adversária reconhecendo a própria falta de um projeto para um Brasil melhor. Ao invés de chamarem atenção para as deficiências da proposta alheia, sejam convincentes nos grandes benefícios da sua. Denunciar não é apenas necessário, é fundamental. No entanto, por mais que nos desagrade a situação do momento, o país está em plena vigência do regime democrático sim! Golpismo deve ser combatido. Esse pretexto nefasto de defender a democracia acabando com ela é farinha do mesmo saco e tem meu inteiro repúdio. Polarização estúpida.

    Responder
    • Gilberto   10/03/2014 at 08:32

      Meu caro amigo Ivani,
      O brasileiro não sabe viver em uma democracia, pois uns logo confundem liberdade com libertinagem e outros nada fazem para impedir os primeiros.
      Eu prefiro viver 30 anos em um regime de governo militar, aos moldes da ditamole que houve de 64 a 85, que viver um ano em um país com regime comunista.
      Se você achar que o golpe comunista é teoria, basta ver as atas de reunião do Foro de São Paulo e dos Congressos Nacionais do PT.
      Os calendários para implantação do regime socialista na América Latina está sendo rigorosamente mantido e a única correção que fizeram desde o inicio foi trocar o nome do Chaves pelo do Maduro.
      A única saída que vejo para nós termos um governo verdadeiramente democrático neste país, é investir uns 20 anos em educação para que as novas gerações de eleitores venham com consciência política, diferente desta geração de eleitores que nós temos, que não se lembram em quem votaram nas últimas eleições, os que votam a troco de benefícios pessoais, como os bolsa qualquer coisa, ou os mais novos que votam por zoeira ou por aparência física.
      Na época do governo militar, eu, minha família e a grande maioria das pessoas que conheço, podiam ir e vir livremente para qualquer canto do país e até para fora dele.
      Quantas pessoas você conhece pessoalmente que não podiam fazer o mesmo?

      Responder
      • Helena   30/03/2014 at 23:27

        Verdade,eu era criança ainda,em 86 eu era bem jovenzinha,mas,na década de 70 eu fui pra Escola,pública, de ótima qualidade,meu pai,um simples trabalhador braçal, com cinco filhas,minha mãe,dona de casa,e nada nos faltava,muito pelo contrário,,tínhamos uma vida simples, mas,nada nos faltava,com poucos recursos tínhamos casa própria, mas,o que mais recordo e’ no quesito segurança, tínhamos a ronda o tempo todo agindo nas ruas,a segurança era plena,podíamos sair e voltar altas horas para casa que ninguém nos abordava,não tínhamos sequestros relâmpagos, bala perdida e policial era temido,muito temido por maus elementos.Matar um policial naquela época era sentença de morte pra qualquer bandido.Hoje,polícia não usa farda na rua,esconde credencial,mora mal e tem que se esconder de bandido.Matam policiais e nada lhes acontece.Olha,tenho ótimas lembranças, muita coisa para comparar com o quadro horripilante que vivemos hoje,mas,por ora,basta.Como disse o amigo acima,prefiro dez anos de “ditadura” militar do que uma semana de comunismo,o falso “socialismo”.

        Responder
        • Gilberto   30/03/2014 at 23:41

          Helena, eu passei pela mesma situação, minha mãe cuidando de casa, meu pai como motorista de caminhão.
          Tínhamos uma vida simples, mas com casa própria, que meu pai ia construindo aos poucos, não havia um mês sequer que não lhe surgia uma nova oferta de emprego, as crianças brincavam sossegadas nas ruas e os portões das casas ficavam abertos, eram raros os marginais que apareciam, pois quando eram presos, ficavam presos.
          Bons tempos, que espero ver novamente.

          Responder
  6. Massucatti Neto
    Massucatti Neto   10/03/2014 at 10:37

    Respeito o direito de todos a pensarem e agirem da forma que bem entenderem, contanto que isso não infrinja os direitos dos outros e afronte a lei, portanto respeito o ponto de vista do Sr. Ivani. Mas assim como ele acha estupidez e pede argumentos para justificar uma intervenção militar (não uso a palavra golpe como adoram os comunas, isso subentende algo ilegal, ilícito) e também que mostremos as qualidades que justifiquem um governo regulado pelas forças armadas, em contrapartida ele argumenta “estamos em plena vigência do regime democrático sim!”. Nesse caso pergunto eu, me prove? Apenas porque você vai periodicamente a um caça niqueis viciado e acredita que em quem você votou a máquina registrou, isso é democracia? Ou talvez porque ele acredite na liberdade de expressão, no acesso à informações e que os meios de comunicação tem plena liberdade de expor ideias e conceitos sem pressão ou intervenção? Lembro do marco civil da internet e a luta governamental para colocar em prática seja sob quais condições for, eu particularmente sou a favor de um plebiscito sobre esse assunto…mas eles fazem, não, constantemente blogs, sites e outros meios são inexplicavelmente tirados da rede…inexplicavelmente disse eu, (risos)…

    O argumento sobre a falta de liberdade e censura do regime militar cai sobre o AI 5, ato institucional n° 5 que legislava o seguinte:

    I – cessação de privilégio de foro por prerrogativa de função;
    II – suspensão do direito de votar e ser votado nas eleições sindicais;
    III – proibição de atividades ou manifestação sobre assunto de natureza política;
    IV – aplicação, pelo Ministério da Justiça, independentemente de apreciação pelo Poder Judiciário, das seguintes medidas:
    a) liberdade vigiada;
    b) proibição de freqüentar determinados lugares;
    c) domicílio determinado.
    Ademais, “outras restrições ou proibições ao exercício de quaisquer outros direitos públicos ou privados poderiam ser estabelecidas à discrição do Executivo.
    O Presidente da República podia também, conforme o artigo 8º, decretar o confisco de bens em decorrência de enriquecimento ilícito no exercício de cargo ou função pública, após a devida investigação – com cláusula de restituição se provada a legitimidade da aquisição dos bens.4
    O artigo 10 suspendia a garantia de habeas corpus, nos casos de crimes políticos, contra a segurança nacional, a ordem econômica e social e a economia popular.
    Durante a vigência do AI-5, também recrudesceu a censura. A censura prévia se estendia à imprensa, à música, ao teatro e ao cinema.

    Isso até 1979 quando um certo presidente militar, Ernesto Geisel, revogou todos atos institucionais, devo lembrar que a intervenção militar foi em 1964 o AI 5 é de 1968, ou seja quatro anos após atos e mais atos terroristas, até ai havia uma plena liberdade, o uso indevido dos meios de comunicação e uma guerra declarada dos comunas contra a democracia obrigaram com que o estado entrasse em regime de guerra, isso é normal a qualquer democracia em tempos de guerra, até a constituição norte americana prevê isso.

    Tanto que não durou muito, foram 11 anos até as revogações, o regime bolchevique durou muito mais que isso, a opressão Castrista em Cuba se mantem até hoje, assim como China, Coreia do Norte e poderia citar inúmeros outros exemplos que se perpetuam, nesse tocante nossos militares mostraram muito menos interesse e gana pelo poder do que os que hoje se dizem democratas. Mas analisando o AI 5, ele cairia bem nos dias atuais, principalmente no tocante a questão do enriquecimento ilícito, muitos dos socialistas improdutivos que enriqueceram na tetas do estado estariam em apuros e nosso judiciário que se mostra inócuo deixaria de tomar decisões equivocadas.

    Aliás voltando a temporalidade de opressores a intervenção foi em 64 e a abertura foi em 88 com a nova constituição, ou seja 24 anos, o atual governo vem dilapidando o estado desde de 2003 com Lula até hoje, 2014 com Dilma , 10 anos, é pauta e principal objetivo dentro do partido a reeleição e a perpetuação do PT no poder, aqui não coloco o período social democrata do FHC a meu ver embrião das coisas como estão, de 95 à 2003 seria adicionar mais dez anos. Trinta anos de democracia hein, e ai o que melhorou? Plagiando a música, para eles os ídolos ainda são os mesmos e no cenário politico continuamos da mesma forma que saímos em 88, pensando bem estamos pior.

    Como disse Ivan, devemos denunciar é preciso, mas assim como a ovelha que quando percebe seu executor começa a balir incessantemente alardeando o ato que se anuncia, isso apenas não impede que ela seja morta, apenas gritar não adianta.

    Mas sei, e respeito, que o senhor Ivan acredita mesmo ante qualquer prova, mesmo aquelas que são diariamente jogadas em seu rosto

    Responder
  7. Ivani Medina
    Ivani Medina   10/03/2014 at 15:22

    Meu caro amigo Giba,

    “O brasileiro não sabe viver em uma democracia, pois uns logo confundem liberdade com libertinagem e outros nada fazem para impedir os primeiros.” (Giba)

    Eu não aceito isto, pois muito precisamos aprender. Democracia não é a satisfação dos anseios ideológicos de um ou de outro. Todo crescimento é difícil e doloroso.

    “Eu prefiro viver 30 anos em um regime de governo militar, aos moldes da ditamole que houve de 64 a 85, que viver um ano em um país com regime comunista.” (Giba)

    Pois eu não prefiro nenhuma das duas extremas e, por favor, tire os militares dessa. Muitos pensam como você, mas felizmente não são todos os que acreditam nessa patacoada de direita e esquerda como um catecismo.

    “Se você achar que o golpe comunista é teoria, basta ver as atas de reunião do Foro de São Paulo e dos Congressos Nacionais do PT.” (Giba)

    Já conversamos anteriormente a respeito e lhe dei minha opinião com a mesma clareza que o faço agora.

    “Os calendários para implantação do regime socialista na América Latina está sendo rigorosamente mantido e a única correção que fizeram desde o inicio foi trocar o nome do Chaves pelo do Maduro.” (Giba)

    Se assim o é, estão demonstrando a competência que a sua amada direita borrada de medo das eleições não tem. Ora bolas, esse maduro não é nada. Faça-me o favor.

    “A única saída que vejo para nós termos um governo verdadeiramente democrático neste país, é investir uns 20 anos em educação para que as novas gerações de eleitores venham com consciência política, diferente desta geração de eleitores que nós temos, que não se lembram em quem votaram nas últimas eleições, os que votam a troco de benefícios pessoais, como os bolsa qualquer coisa, ou os mais novos que votam por zoeira ou por aparência física.” (giba)

    Discordo. Vivemos em um país verdadeiramente democrático sim! Porque a direita não resolveu o problema da educação quando sempre esteve no poder? Não precisa responder porque sabemos todos. O país não precisava passar pelo o que está passando agora com o segundo governo esquerdista da sua história.

    “Na época do governo militar, eu, minha família e a grande maioria das pessoas que conheço, podiam ir e vir livremente para qualquer canto do país e até para fora dele.
    Quantas pessoas você conhece pessoalmente que não podiam fazer o mesmo?” (Giba)

    Não sei por quem você está me tomando com argumentos desses. Por falar em “família”, coisa que todo mundo tem, lamento muito vê-lo ao lado de gente que diz estar “em defesa da família”. Ô coisinha feia! Esse “família” é um eufemismo ao modelo cristão ortodoxo de existência, e bem sabemos o quanto de podre ele leva adiante. Quase dois milênios de pouco caso com a inteligência alheia, né Giba. É o que você está a apoiar. Por saber quem eu sou, sei como me posicionar e não fazer alianças ilegítimas por conveniência ideológica. Cuidado para se tornar naquilo que sempre combateu.

    Abraços.

    Responder
    • Gilberto   10/03/2014 at 17:23

      Ivani, quando falo em família, não passo nem perto daquilo que a ICAR tenta representas, mas falo diretamente de pai e mãe, que são minha principal referencia na época.
      Eu estou acompanhando os bastidores da política nacional e latino-americana, pois trabalho com política e sei das falcatruas que estão acontecendo.
      Na eleição do Collor, foi vontade do povo, na eleição de FHC, também, na primeira eleição de Lula, também o foi, mas de lá pra cá, não é mais, pois as urnas são fraudadas a darem os resultados que o governo quer, independente da vontade popular. Inclusive o governo atual rejeitou o pedido de imprimir os votos e esta é a questão um de minha ira contra os comunas. Segundo ponto é a censura, que não deveria haver, como aconteceu no governo FHC que podíamos nos expressar sem medo de ataques Hackers militantes (eu já fui vítima mais de uma vez) e tínhamos uma imprensa tendenciosa por si e não por ameaças governamentais, como as que o governo faz com o SBT, ameaçando tirar a concessão da emissora caso continue mantendo em sua programação a Rachel Sheherazade e o Luiz Carlos Prates, entre alguns outros.
      Você questiona sobre a direita política, mas a direita política brasileira é composta por não eleitos, sendo as únicas exceções o Deputado Bolsonaro e o Senador Cristovam Buarque, pois os demais eleitos são de esquerda e/ou aqueles que nem posicionamento político tem e que querem ficar eternamente no poder, como Sarney, Maluff e outros.
      Respeito seu repúdio à intervenção militar, mas continuo defendendo esta ferramenta como o remédio para alívio imediato, antes que o PT e sua quadrilha destruam o que ainda resta do país.

      Responder
      • Pedro   03/11/2014 at 17:19

        Eu parei de ler depois que escreveram que ao redemocratizarem o país, vai entregar a democracia para os familiares das mesmas oligarquias conhecidas de sempre (Sarney, Collor, Maluf, etc…). Isso é mudança para melhor? A minha resposta é: NÃO!!! Nunca vi tanta besteira em um só blog! E se tiver uma intervenção militar vai inevitavelmente virar uma ditadura militar, afinal, o poder corrompe qualquer um e os militares NÃO são exceções! Quem garante que os militares não irão gostar do poder e ficar mais tempo e se perpetuarem no poder! E ainda acho que sim, vai estourar uma guerra civil sem precedentes se tiver uma nova intervenção militar! Parece que só rico e a velha classe média que late para ter os militares de volta ao poder! Aff! Sem mais!

        Responder
        • Gilberto   03/11/2014 at 20:25

          Pedro, em primeiro lugar quando os militares iriam devolver o comando do país para os civis, os grupos VAR Palmares e seus aliados, comandados por José Dirceu, Dilma e seu marido, iniciaram ações de assaltos a bancos, explosões de bancas de jornais, sequestraram um diplomata entre tantos outros crimes, com isto os militares ficaram mais tempo no poder.
          Você citou Maluf, Collor, mas esqueceu de dizer que não foram os militares, mas o povo brasileiro que os escolheu, o mesmo povo que elegeu a quadrilha petista que está destruindo nosso país.
          Embora acredite que CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE, eu particularmente prefiro a ditadura militar de volta aos desmandos destes marginais bolivarianos que estão hoje no poder.
          Espero que os brasileiros acordem antes que o Brasil se torne uma Venezuela.

          Responder
  8. Ivani Medina
    Ivani Medina   10/03/2014 at 17:01

    Sr Massucatti Neto
    Fala sério, com medo dos resultados das próximas eleições vocês vêm falar em golpe militar e ainda diz que respeita o direito do outro?
    “Mas assim como ele acha estupidez e pede argumentos para justificar uma intervenção militar (não uso a palavra golpe como adoram os comunas, isso subentende algo ilegal, ilícito) e também que mostremos as qualidades que justifiquem um governo regulado pelas forças armadas, em contrapartida ele argumenta “estamos em plena vigência do regime democrático sim!” (Massucatti)
    O que eu acho estupides é a polarização de extrema direita e extrema esquerda. Ambas me enojam! Eu uso a palavra certa, porque seria um desrespeito a uma presidente eleita pelos votos dos seus. Isto, mesmo que desagrade a muitos, é democracia sim. Não é o melhor regime, sabemos todos, mas ainda não encontrou substituto. Está muito próxima conceitualmente da educação: sobrevive de exemplos. Eu não pedi que mostrassem nada. Sei do que estou falando.
    Seus argumentos contra o atual governo ou sua propaganda anticomunista nada me dizem. Poderíamos até concordar em muitos pontos. Mas nada disso vem ao caso. Essa república bolivariana que vocês tanto alardeiam não é possível na América Portuguesa. Na espanhola, onde os nativos foram esquecidos por muito tempo, até pode ensaiar alguma coisa, como na atrasada Bolívia. No resto não creio. Aqui no Brasil nem pensar. Claro que eles querem, mas vão ficar na vontade. No entanto, essa atitude de vocês me é repugnante.

    Responder
  9. Ivani Medina
    Ivani Medina   10/03/2014 at 17:04

    Errata: desrespeito (não a presidente) ao regime e ao povo que a elegeu.

    Responder
  10. Massucatti Neto
    Massucatti Neto   10/03/2014 at 17:31

    Não temos esquerda, não temos direita, realmente não temos rumo… Menosprezar o foro de São Paulo só porque o Maduro é o nome, é menosprezar a própria inteligencia é querer se enganar. A intervenção militar se faz necessária sim, haja vista não termos democracia, reafirmo, o voto no Brasil está corrompido, sua legitimidade não existe, engana-se quem acha que a abertura se deu por pressão popular, pois afinal se os militares fossem tão cruéis e sedentos por poder ainda estaríamos em um regime militar (vide as ditaduras como em Cuba), eles não temiam as eleições ficaram no poder por tempo maior do que queriam porque os comunas decretaram guerra. A inversão de valores hoje está clara, a família deve ser protegida, seja em que moldes for sim, a base de uma sociedade é a família, a base de uma sociedade livre pelo menos, mas para os comunas o que importa é o estado, inversão total onde o estado que deve suprir e servir o povo no comunismo exige servidão do cidadão.
    Respeito quem tem opinião, mas dizer que a esquerda “demonstra competência”, não é esse o caso, o caso é que eles aproveitam da ignorância do povão e pior….. se aproveitam da covardia de quem, plagiando Voltaire, acha que estamos no melhor dos mundos possíveis, aquele que diz: não sou contra nem a favor muito pelo contrário, daquele que acredita que o rouba mas faz é conduta política.

    Responder
  11. Ivani Medina
    Ivani Medina   10/03/2014 at 17:34

    Ok, Giba. Ficamos assim.
    Abraço.

    Responder
  12. Ivani Medina
    Ivani Medina   10/03/2014 at 17:47

    Massucatti Neto

    “Respeito quem tem opinião, mas dizer que a esquerda “demonstra competência”, não é esse o caso, o caso é que eles aproveitam da ignorância do povão […]” (Massucatti)
    O que se tem feito senão se aproveitarem secularmente disso? Agora, espertamente, uns se valem disso pra se manter no poder a incompetência política resmunga.

    “[…] não sou contra nem a favor muito pelo contrário, daquele que acredita que o rouba mas faz é conduta política.” (Massucatti)

    Olha só, você está me chamando de covarde? Esclareça isso, por favor.

    Responder
  13. Massucatti Neto
    Massucatti Neto   10/03/2014 at 17:54

    Meu caro Pangloss, apesar do que diga: não vivemos no melhor dos mundos possíveis, não.
    Mas como diria Voltaire defenderei até as últimas consequências o seu direito a expor seus pontos de vista, mesmo que alienados.

    Abraços meu caro Pangloss.

    Responder
  14. Ana Suzuki   26/03/2014 at 22:49

    O Giba poderou muito bem as consequências da uma intervenção militar, se ela acontecesse agora. Temos o problema dos indígenas, do MST, dos quilombolas, dos religiosos descontentes, problemas suficientes para uma guerra civil.

    Nada, entretanto, pode ser mais grave que um racha nas Forças Armadas. As forças têm que estar coesas, e não estão, a não ser na questão dos soldos humilhantes. Mas intervenção militar virá, mais tarde, quando os brasileiros, civis ou fardados, sentirem na pele o que é o comunismo.

    Por enquanto só conhecem a teoria, que aliás é até bonita. Quando conhecerem como é o
    negócio na prática, vão bradar por liberdade e pedir arrego. Então venezuelanos, cubanos, guerrilheiros e bandidos não poderão com os nossos militares, porque eles certamente terão o apoio de outros países. Por enquanto, é cedo, muito cedo.

    Responder
  15. João   14/11/2014 at 17:06

    Eu sou dessa época, vivi uma boa parte da ditadura e não tenho nada a reclamar dessa época! Só os bandidos e preguiçosos é quem reclamaram a ditadura.

    Responder
  16. MARCOS   24/11/2014 at 09:05

    SE NÃO TIVER INTERVENÇÃO SEREMOS EM MENOS DE 10 ANOS UMA VENEZUELA …. E AI A COISA SERÁ PIOR …. OU SEJA , OU SE TEM INTERVENÇÃO ENTRE 2 ANOS no máximo e ocasione uma guerra civil .com possibilidade do povo de bem ganhar , ou daqui 10 anos TODOS os cidadães de bem serão exterminados …

    Responder
    • Gilberto   24/11/2014 at 09:21

      Pois é Marcos, eu tenho medo do que possa acontecer, a exemplo do que está havendo hoje na Venezuela, do que se está encaminhando o governo da Argentina, da Bolívia, da Colômbia, do Peru, Uruguai.
      O pior é que o Estado brasileiro está todo aparelhado, com os piores corruptos dentro da máquina estatal, desde as prefeituras petistas até o planalto, passando por todas as empresas estatais federais.
      Espero sinceramente que as Forças Armadas façam tomem a atitude correta e nos livre deste câncer bolivariano.

      Responder
  17. MARCOS   24/11/2014 at 12:44

    o que esta ocorrendo no BRASIL https://www.youtube.com/watch?v=1MXvd3ZUn2c#t=655

    Responder
  18. MARCOS   25/11/2014 at 11:42

    A maioria do Brasileiro ainda esta acomodado …vendo TV com seu futebol e carnaval ….pois a maioria ainda esta empregado , acho que a coisa só vai começar a sair da inercia quando o povo começar a sentir no bolso ( perder emprego ou aumento do custo de vida ) ..e isso vai ocorrer entre 2015 e no máximo 2016 …. ate lá só uns poucos estão revoltados pois nas ruas temos apenas uns 30 mil saindo …cade os 51 milhões que votaram em Aécio ??? CADA POVO TEM O QUE MERECE E O POVO ESTA PRECISANDO DE UM SACODE DESSES PARA ACORDAR … exército não vai intervir com 30 mil nas ruas , é loucura …creio que com menos de 1 milhão esqueça …em 64 foram 500 mil …..

    Responder
  19. JOÃO fernandes (@jfernandes_joo)   26/11/2014 at 08:22

    Tudo isso vai acontecer mesmo mais não tem outro jeita para esse câncer a não ser a intervenção cirúrgica incorrer o risco de viver ou morrer eu sou realista e não vou ser hipócrita

    Responder

Deixe um comentário