Opositores de Ontem, Bandidos de Hoje

Salve o 31 de Março Salvador da Pátria

 

Lino Tavares

 

Neste 31 de Março de 2016 em que o Brasil consciente e verdadeiro comemora o 52º aniversário da Revolução cívica que contragolpeou a escalada dos traidores pátrios que conspiravam em prol da comunização do Brasil, não é difícil perceber, à luz de uma boa reflexão, que o regime de exceção que se prolongou por cerca de duas décadas justificava-se sob todos os aspectos. Conduz a esse raciocínio o agonizante quadro político de hoje, integrado pelos maus gestores que exercem o poder, enlameados pela corrupção galopante, e os que lhes fazem oposição, igualmente envolvidos em denúncias de cumplicidade nos mesmos atos ilícitos de seus antagonistas encastelados.
E o que isso tem a ver com o movimento que depôs João Goulart e o governos dos militares que o sucedeu ? – É o que o leitor deve perguntar. A resposta é que tem tudo a ver, haja vista que as lideranças que compõem as forças política da atualidade, tanto no governo como na oposição, são constituídas em sua esmagadora maioria de “farinha do mesmo saco”, antigos opositores do chamado “Regime Militar”, que sobreviviam politicamente da crítica contumaz e improcedente ao governo sério, honesto e progressista, que garantia estabilidade institucional à Nação e segurança a seu povo, permitindo-lhe desfrutar do direito de viver num país livre das ameças da ditadura do proletariado, exercendo o pleno direito ir e vir, sem as ameças da insegurança pública, tal como hoje acontece em nosso país dominado pelo crime organizado.
Examinando cuidadosamente tudo o que sobreveio aos 20 anos do Governo Militar, sob o beneplácito das tão clamadas eleições diretas, chega-se à fácil conclusão de que esse “porre de democracia”, que deveria ser motivo de comemoração, tornou-se na verdade uma porta larga escancarada para a entrada de facínoras nos mais altos escalões do poder, os mesmos demagogos e inimigos pátrios, que no regime de exceção atropelavam o poder vigente, uns querendo eleição direta para presidente, a fim de chegarem onde chegaram, enganando o povo com falsas promessas, e fazerem o que fizeram, saqueando os cofres públicos; outros, como a turma da então guerrilheira terrorista Dilma Rousseff, prestando “relevantes serviços” ao domínio soviético, que incluía o Brasil no seu “sonho de consumo”, com vistas a transformar a Terra num “Planeta Vermelho”.
Os falsos historiadores, a mídia cooptada infestada de antigos “vendilhões do tempo” e os artistas e intelectuais que vivem o papel de “advogados do diabo” podem até continuar contando sua história mentirosa, que leva aos bancos escolares a falsa versão de um tal “regime ditatorial e torturador” dos anos sessenta e setenta, mas a verdade dos fatos, que hoje são manchetes de primeira página em todo país, coloca por terra a cantilena do “governo opressor”, provando que os verdadeiros bandidos eram os que combatiam a inventada “ditadura militar”, pela singela razão de não lhes permitir que fizessem naquela época todo o estrago que estão fazendo hoje nas esferas do poder, estes sim torturando com o seu desgoverno o povo ordeiro que trabalha, produz e paga impostos escorchantes, sem desfrutar da contrapartida das obras inacabadas e superfaturadas, que têm servido tão somente para enriquecer empreiteiros corruptores, malandros corruptos travestidos de governo e sua corja de apaniguados.

 

ABAIXO, VÍDEO SOBRE A MARCHA COMUNISTA DERROTADA NO BRASil

 

Lino Tavares
Lino Tavares é jornalista diplomado, colunista na mídia gaúcha e catarinense, integrante da equipe de comentaristas do Portal Terceiro Tempo da Rede Bandeirantes de Televisão, além de poeta e compositor

Deixe um comentário