Salve Jorge – A invasão dos Signos (1ª Parte)

Salve Jorge – A invasão dos Signos (1ª Parte)

A sutil combinação ficcional, Semiótica e realidade, em Salve Jorge, demonstra o raro talento de Glória Perez como escritora e sua perene influência na literatura contemporânea brasileira. Suas metáforas derivadas de parábolas, lendas e anedotórios são de efeito, porquanto sintáticas e engenhosamente construídas.

A vida é dos espertos?

A vida é dos espertos?

Depois das denúncias de corrupção é um erro levantar a bandeira da ética e da moralidade. Tão grave é a crise moral em que mergulhamos. Vejo, por toda a parte, escândalos de toda a natureza. Vejo o favoritismo, o filhotismo, o compadrio sugando a seiva da nação e obstando o caminho aos mais capazes.

Jânio Quadros: Razões da Renúncia

Jânio Quadros: Razões da Renúncia

Jânio foi campo-grandense por receio do pai de que o parto fosse feito em uma fazenda de Miranda. A mãe de Jânio também nasceu em Mato Grosso, numa fazenda, em Miranda, sendo filha de fazendeiro argentino de Santa Fé. Aos oito meses da gestação, Gabriel levou Leonor para Campo Grande.

A Culpa é Da Burguesia!

A Culpa é Da Burguesia!

Em conversa com o professor Arnaldo Niskier (membro da Academia Brasileira de Letras) e dele recolho o espanto com que recebeu a notícia de que a Fundação Educacional do Distrito Federal recomendou aos seus professores que não tirassem pontos dos alunos que escrevessem errado. Ou seja, ninguém deve dar bola para a gramática e a ortografia.

O ex-presidente, Lula lembrou o “auto-golpe” de Jânio em 1961

O ex-presidente, Lula lembrou o “auto-golpe” de Jânio em 1961

Jânio Quadros foi o precursor da modernidade no Brasil. Ele foi o primeiro a falar em equilíbrio orçamentário, decreto ecológico, reforma agrária, austeridade, rigor nas contratações do serviço público, nos gastos públicos, bandeiras até hoje usadas. Os discursos de hoje de V.Sa., são repetições do que Jânio falava há 51 anos: reforma administrativa, redução do déficit público e defesa da desestatização.

Jânio Quadros, refez a linguagem política no Brasil

Jânio Quadros, refez a linguagem política no Brasil

Segundo o professor, Eduardo Grossi: – “A mensagem da propaganda impressa de Jânio Quadros durante a campanha presidencial de 1960. Naquele momento, a televisão encontrava-se num estágio inicial e o rádio era o grande veículo de comunicação de massa. A publicidade eleitoral nas ruas se fazia pela distribuição de santinhos, manifestos, volantes, movimentada pelos comícios dos candidatos em diversos pontos do país.

…Ou são inteiramente honestos ou não o são

…Ou são inteiramente honestos ou não o são

O candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, José Serra, rebateu as declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que o comparou aos também ex-presidentes Fernando Collor e Jânio Quadros.

Os pronomes não aguardam a ética para que se coloquem nos seus lugares. Estão sempre neles. A boemia dos verbos é que mutilam a boa ordem das frases. Há que lhes perdoar. Não se desgrudam da ideia de movimento.

Depois das denúncias de corrupção/mensalão é um erro levantar a bandeira da ética e da moralidade, tudo isso faz crer que a ética está em pane, promovendo a prevalência da tristemente famosa “Lei de Gerson” (a vida é dos espertos).