Lino Tavares

..

É possível afirmar, à luz do clamor popular, que a realização da Copa no Brasil não coaduna com a vontade da grande maioria da população. Nada contra o futebol,  esse evento esportivo fabuloso, que tanto contribuiu para aumentar o conceito do Brasil no concerto das nações, servindo até de uma espécie de compensação a outros itens que nos envergonham perante o mundo, tais como índice de analfabetismo, crescimento pífio, taxa de mortalidade infantil, educação e saúde precárias, acidentes de trânsito  e fundamentalmente a falta quase absoluta de segurança pública. A rejeição a isso   é meramente econômica, já que a gastança desenfreada para a realização do certame mundial está consumindo dinheiro que poderia ser aplicado para minimizar o sofrimento da população, no tocante à falta de assistência em áreas sociais, como as recém citadas.

..

Copa-1983

..

Muito se fala sobre o Regime de Exceção vivido pelo país entre 1964 e 1984, sempre com a clara intenção de transmitir aos mais jovens, que não o vivenciaram, a impressão de um período de tirania, que na verdade, se comparado a ditaduras como as de Cuba, que o nosso Governo apoia, ou da Coreia do Norte, é como traçar um paralelo entre a hoje extinta Alemanha Oriental (comunista) e a Ocidental, integrada ao mundo live. Sob a orquestração de uma mídia “domesticada”, bem paga para mentir, negam-se obras  importantes do chamado “Regime Militar”, das quais nos beneficiamos e sem as quais estaríamos vivendo um caos, caso não tivessem sido levadas a bom termo, de que é exemplo clássico a usina hidrelétrica de Itaipu, sem a qual estaríamos sofrendo hoje um colapso no setor energético.

Outra virtude daquela fase história da República, que poucos se dignam ressaltar,  era o elevado grau de honestidade dos nossos governantes, todos  tendo voltado para casa após o cumprimento do mandato  (sem direito a reeleição) na mesma situação financeira que tinham quando assumiram o poder. A seriedade e a responsabilidade com as finanças públicas é outro fator que faz a diferença entre  o que tivemos naquela época,  na área da responsabilidade fiscal, e o que temos hoje com esse governo “Papai |Noel” que coloca a indumentária vermelha e sai a distribuir benesses, a torto e a direito, aqui e no exterior, em troca de favorecimentos eleitoreiros, que vão do simples voto ao custeio milionário de campanhas via caixa dois.

Para comprovar a tese, veja a seguir o que foi publicado no jornal Zero Hora, de Porto Alegre, há cerca de trinta anos, quando  João Havelange, então presidente da FIFA,  propôs a  realização da Copa do Mundo no Brasil, ao presidente João Figueiredo.

One thought on “Verdades Sufocadas

  1. José massucatti neto
    José massucatti neto says:

    uma entidade que não tem vinculo com nenhuma entidade internacional séria, dirigida por pessoas no mínimo suspeitas ou envolvidas em escândalos, e nossa presidanta e seus asseclas beijam as mãos desses aproveitadores como se estivessem diante de algum secretario de Haia, motivo, se não tiver A copa do mundo como desviar, como roubar e como enriquecer (mais) ilicitamente, os militares estiveram no poder para que a corja comunista não entrasse e virássemos uma Cú….ba, parabéns a eles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.