Lino Tavares

Sandra Salem, nossa entrevista da série,  nasceu em 02 de julho de 1976 na cidade de São Paulo, onde atua como diretora comercial e artística na empresa Sandra Salem Stúdio.

 

Sandra Salem 1

 

O Começo

Ainda na tenra infância, com apenas 4 anos, iniciou os estudos de ballet, graduando-se nessa arte pela Royal Academy of Dancing of London. Especializou-se em Formação em Pilates – 2003 a 2007 – Dançaterapia – Método Maria Fux – 2004 – Danças Circulares – Um recurso para trabalho individual e grupal – SEDES – Sapientiae – SP – 2004 – Eutonia – (“Eqauilíbrio do Tônus”) – SEDES – 2004 – a Imagem Corporal na Contemporaneidade – PUC – SP. Em 1999 / 2001 – Especialização em espada, bastão, snuges e 7 véus com a Professora Shally Mattar, realizadora do Mercado Persa, maior evento nacional anual de Dança do Ventre – 1998 / 1999 – Curso de Dança do Ventre na Casa de Chá “Khan El Khalili”, ministrado pela professora Soraya Zaied que atualmente é a melhor bailarina no Egito – 1995 / 1999 – Curso de Dança do Ventre no Esporte Clube Sírio, ministrado pela professora Claudia Cenci, coreógrafa que coordenou a parte de dança na Novela “O Clone” na Rede Globo – 1998 – Bacharel em Psicologia – UNIP – SP – 1980 / 1995 – Ballet clássico pela “Royal Academy of Dancing of London”. Aos 14 anos,  Sandra já trabalhava como auxiliar de sala numa escola de educação infantil. Entusiasmada com aquilo que faz, ela enfatiza: “Sempre estive próxima dos temas educação e saúde. E tenho isso como uma missão na vida”. 

De posse desses estudos e experiências acumuladas, Sandra Salem é considerada hoje uma bailarina, professora e coreógrafa especializada em Dança do Ventre, com expressiva vivência internacional, tendo se destacado em apresentações nos maiores eventos do gênero, em Sidney, na Austrália, bem como em programas de televisão, feiras, eventos e restaurantes, no Brasil e no exterior.

Sandra Salem 2

Participação na Mídia

(No contexto,  links de  vídeos de Sandra Salem na televisão)

– 2008 – matéria para revista São Paulo em Destaque Trecho da Matéria: “ Bem representada, a cultura árabe abriu a noite com a dançarina Sandra Salem que com maestria exibiu a lendária dança do ventre e encantou com a espada, apetrecho mágico… linda!
– 2008 – entrevista feita para o site Eladela
– 2007 – Jornal São Paulo Zona Sul ed.2.317 ano 47 matéria sobre dançaterapia em 20 de abril de 2007.
– 2007 – Jornal São Paulo Zona Sul ed. 2.307 ano 47 matéria sobre dança do ventre em 09 de fevereiro de 2007.
– 2007 – Desenvolveu matéria sobre dança do ventre p/ Revista Dieta Já ed. 134 nas bancas em 16 de fevereiro de 2007.
– 2006 – Desenvolveu matérias sobre dança do ventre para os sites femininos nova mulher, mundo mulher e w mulher.
– 2005 – Jornal do SBT – Com a apresentação de Hermano Henning – Matéria sobre como a cultura árabe comemora o natal. – SBT – Brasil
– 2003 – Super Pop – Rede TV – Brasil
– 2002 – Australian Postcards – SBS – Austrália
– 2001 – Altas Horas – Rede Globo – Brasil
– 2000 – Mais Você – Rede Globo – Brasil
– 1999 – Note e Anote – Rede Record – Brasil

Sandra Salem 5

Atuação Profissional

 (link inserido)
Workshop “Sensualidade” – 12 de Abril de 2014! – Sandra Salem: “Nosso foco é a melhora da auto estima das mulheres e sucesso no relacionamento com o parceiro. Amiga, estou te esperando para te revelar uns segredinhos…”Vídeo com os depoimentos de quem participou em 2013. Projeto Sedução 2: https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=jHUlsdlPE9o 
Sandra Salem 4

Sandra Salem Responde:

Sua vocação para a arte coreográfica foi única ou conviveu na infância e na adolescência com outros projetos de vida ?
R: Meu pai foi tenor de ópera, acho que tem uma veia artística aí! rsrs

Em que ou em quem você buscou inspiração para iniciar nessa atividade artística ?
R: Iniciei ballet aos 4 anos de idade, segui querendo aprender mais e mais, mas a inspiração, desde cedo foi pautada no bem estar e sensação de felicidade sempre que eu dançava!

Além da dança, você se sente atraída por outras práticas, como música, pintura, teatro, etc. ?
R: Todas. Adoro artes em geral;  elas expressam os mais íntimos sentimentos , aqueles que as palavras não alcançam. É aquele famoso “sem palavras”.

Sua iniciação nessa arte tem algum tipo de influência familiar ?
R: De certo modo sim, como disse há uma veia artística na família. Com relação à dança do ventre, sim por ser da cultura árabe. Minha descendência por parte de pai é libanesa

Quando foi que você se sentiu completamente segura de que era isso mesmo que gostaria de fazer ?
R: Bom, fiz isso desde sempre. Fui auxiliar das minhas professoras primeiro. E assim foi tanto no ballet, como na dança do ventre, quanto na faculdade de psicologia na qual, logo após ter concluído o 1° ano, fui monitora por 4 anos das matérias de Biologia, Genética e Fisiologia.  Assim, essas áreas do conhecimento sempre estiveram entrelaçadas parra mim. Adoro a performance e o espetáculo, mas nunca desconectei da relação da dança com a saúde.

Nas performances coreográficas com grande presença de publico, você sente algum nervosismo ?
R:  Não . Quanto mais público, melhor! Até brinco, que nem que eu tente muito não conseguiria ser tímida! hahahaha


Se você descobrisse que possui talento para cantar ou representar, trocaria algum dessas atividades pela dança ? 
R: Não trocaria,  mas acrescentaria! Adoro cantar e representar também! Fiz o curso livre de Teatro no ‘Teatro-Escola Célia Helena’

Você acha que a dança no Brasil é suficientemente incentivada para desenvolver ao máximo o seu potencial ?
R: De maneira nenhuma. Ora,  num país onde nem a educação é incentivada, imagina incentivar as artes?!  Uma pensa, porque as artes e a educação caminham juntas. E acredito que a dança juntamente com outras formas de arte poderiam auxiliar e muito na educação e formação do povo brasileiro. Vê que,  quando existem os grupos não governamentais, que surgem das próprias comunidades em caráter de ação voluntária, o quanto faz reerguer vidas que estavam quase perdidas por drogas, violência e falta de perspectivas!

Você é uma mulher bonita. Acredita que a beleza contribui de alguma forma para a “abertura de portas” na carreira de dançarina ?
R: Sim, no mundo das performances ser bonita abre portas.

A par ser dançarina, professora e empresária, já pensou algum dia em desfilar nas passarelas da moda ou atuar como modelo fotográfico ?

R: Já fiz alguns trabalhos de modelo. fotográfico e um comercial na tv,  que a bailarina virava bruxa,  e topei numa boa. Só não fiz passarela mesmo porque as exigências de magreza não me permitem!

Considera que a vida de bailarina ou dançarina requer sacrifício semelhante ao de uma modelo, para manter o padrão físico indispensável a essa prática ?
R: Talvez nas grandes companhias de ballet sim, mas na dança oriental felizmente não! E na minha academIa muito menos!!! Não queremos padrões. queremos pessoas saudáveis e felizes. Alimentação saudável será aqui sempre incentivada juntamente com a prática das danças e pilates para um resultado harmônico e de saúde plena. O que passa bem longe dos exageros que fazem as modelos das passarelas.

Quais foram os prêmios mais relevantes que você conquistou ao longo da carreira ? 
R: Quando se fala em prêmios, normalmente se fala de competições e de levar adiante o nome de uma bandeira…nunca dancei para competir. Sempre dancei para curar minha própria alma que necessita dessa linda conversa com os anjos…curar quem me assiste, que vai ao êxtase e sai feliz sem saber por quê. Minhas colocações acadêmicas sempre foram as primeiras. As notas foram as máximas onde quer que eu tenha passado. Faz parte de um processo de dedicação e auto exigência de minha parte;  não me contento com a média. Gosto do máximo e, por tantas e tantas vezes,  ainda me pego desafiando o máximo para mais. No entanto, considero que meus melhores prêmios são de fato, verificar as diferenças que a minha dança faz na vida das pessoas, mudando seus semblantes, como um botão que gira e conecta no modo: esperança e brilho da vida, seja num simples show de apenas 10 minutos.

Quem você apontaria hoje com maior dançarina brasileira ? 
R:  Temos vários nomes importantes no Brasil, como Ana Botafogo e Cecília Kasting, mas também temos um tanto de gente brilhante que ainda não fez fama…


Quem é, a seu ver, o maior ícone da dança universal na atualidade ?

R: Sylvie Guillem,  da Royal Ballet,  tem se destacado bastante

Dos países que visitou, qual o que lhe pareceu mais desenvolvido no mundo da dança ? 
R: Fora Brasil, estive em Argentina e Austrália. Achei que os dois valorizam mais – as artes incluindo dança – do que o Brasil, mas creio que haja outros países que valorizem ainda mais;  exemplo: Rússia.


Você acha que o Ballet clássico hoje praticado no Brasil está entre os mais evoluídos do mundo ?

R:  Temos muita influência de fora, buscamos modelos constantemente; acho que ainda não somos os mais evoluídos…
 
À luz das experiências adquiridas no exterior, você diria que Ana Botafogo pode ser considerada uma das maiores dançarinas internacionais das últimas décadas ? 
R:  Brasileira talvez, mas internacional não.
 
Na sua trajetória artística e empresarial, você já teve alguma forma de relacionamento como o Ballet Bolshoi ? 
R: Não de perto. Mas de fato é uma super referência
 
Você acredita que a presença de uma representação do Ballet Bolshoi em Joinville, Santa Catarina, contribui para o desenvolvimento dessa arte em todo o Brasil ? 
R: Sim
 
Você dedica um grande espaço de sua escola de dança ao público infantil. É fácil trabalhar com crianças nessa atividade artística e cultural ? 
R: Pedagogicamente para mim é um ‘oásis” – amo trabalhar com crianças. Às vezes é mais fácil que com adultos; elas estão abertas ao aprendizado e flexíveis com relação às várias propostas. Às vezes os pais dão mais trabalho…
 
Você é de parecer que a dança deveria ser incluída como disciplina obrigatório no ensino básico fundamental ?
R: Sim. Se não especificamente, um ou outro tipo de dança, mas sim a área da expressão corporal de uma forma mais ampla e abrangente
 
Que conselho você daria a uma criança ou adolescente que descobriu sua vocação para a arte de dançar ?
R: Jamais desista; haja quantos obstáculos houver no caminho. Da mesma forma, jamais se auto agrida, indo além dos seus limites forçosamente para, às custas de futuras lesões, conseguir resultados estéticos almejados.
 
Você acha que a Lei de Incentivo à Cultura que temos hoje no Brasil funciona ou não passa de um rótulo sem conteúdo ?
R: Pouca coisa acontece, você sabe. Eles têm dinheiro para investir bem mais do que investem. Se não investem bem nem na saúde pública, imagina em cultura e arte…
Sandra Salem 3

Bate bola com Sandra Salem

 
Uma doce recordação ? O tempo em que morei na Austrália
 
 Pessoas importantes na sua vida ? Meu filho, meu pai e minha mãe
 
 Viagem inesquecível ? Austrália
 
 Um sonho realizado ? Ser mãe
 
Momento mais importante de sua vida ? Nascimento de meu filho
Uma coisa para esquecer ? O pai dele! (kkk)  
 
Uma decepção ? Ter confiado em 2 professores que treinei durante 8 meses, ser traída por eles. que saíram sem dar satisfação , montaram academia na minha esquina e
tentaram levar meus alunos
 
 Uma superstição ? Bato 3x na madeira para isolar alguma coisa ruim
 
 Principal Hobby ? Ler com meu filhote
 
 Cor preferida ? Adoro cores! Rosa forte, vermelho.. enfim. quanto mais femininas e sensuais mais gosto
 
 Prato preferido ? Espagueti bolonhesa, desde criança!
 
 Clube de futebol do coração ? Brasil
 
 Cantor e/ou cantora preferido (a) ? Não creio que exista “O (A) MAIOR”. Há muitos talentos por aí… Mas amo Shakira e Michael Jackson por cantarem E dançarem ao mesmo tempo c/ tanta energia e qualidade!
 
 Ator ou atriz nacional de todos os tempos ? Nossa ! Temos tantos talentos, prefiro nem apontar…
 
 Melhor filme ? Beautiful Mind 
 
 Melhores livros que leu ? Sempre preferi ler livros de matérias específicas ao invés de contos. Adoro `’Professores e ‘Professauros’ – Celso Anunes,  ‘Pais brilhantes e professores fascinantes’ – Augusto curi
 
 Projetos na carreira ? Crescer minha escola, ter diretor para cada modalidade, torná-la um modelo de organização. abrir filiais ou franqueados!
 
Sandra Salem 6
 

 Considerações Finais

Muito obrigada Lino Tavares por querer me entrevistar e por ter tanta paciência com a minha longa demora ao respondê-la! Peço mil perdões, mas como sou ainda só EU para tudo aqui …ainda não tenho os meus tão sonhados diretores para gerenciamento das diversas modalidades; “me viro nos trinta sozinha mesmo”!!! Mas o faço, confesso, com imenso amor todos os dias!!!


Sandra Salem 7 

Vídeos e páginas de Sandra Salem

 

 Sandra Salem Studio – Dança do Ventre

 

One thought on “Sincronia “Dança & Pilates” no Ensino Qualificado de Sandra Salem

  1. Avatar
    Hercílito Santos says:

    Essa dançarina fascina a gente. Além de muito bonita, tem uma magia no olhar, parecendo um misto de cigana e odalisca. Se eu assitisse um show de dança com ela, pagaria ingresso na entrada e na saída. O jornalista Lino foi muito feliz e sábio ao entrevistá-la, pois muita gente que ler essa entrevista vai se apaixonar pela Sandra Salem. Um beijo, linda do Hercilito Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.