Enquanto os Cães Ladram, os Militares Trabalham - Gibanet.com

Enquanto os Cães Ladram, os Militares Trabalham
Enquanto os Cães Ladram, os Militares Trabalham

Lino Tavares

.

Enquanto pústulas empuleirados no poder e promotores medíocres sedentos de notoriedade, todos movidos pelo ranço esquerdista do comunismo retrógrado e pusilâme, tentam retroceder no tempo com o objetivo de denegrir a imagem de militares que participaram da resistência heróica contra os traídores pátrios das décadas de 1960 e 1970,  os militares brasileiros, continuadores da missão destinada a grantir a segurança e a soberania da Pátria, cumprem silentes o seu dever constitucional e, paralelamente, contribuem com a sociedade civil, realizando obras que a incompetências dos desgovernos de hoje deixaram de realizar, embora tendo elevado a carga tributária a patamares capazes de fazer inveja a países do primeiro mundo, que proporcionam uma vida digna a suas populações.

Um desses exemplos são as obras realizadas pelo Exército, no aeroporto internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, objeto de reconhecimento público por parte da procurador-geral da Justiça Militar, Cláudia Mária Ramalho Moreira Luz, como se vê a seguir, no texto de Luiz Roiz.
.

Procuradora militar diz que obras do Exército em Guarulhos são exemplo

.
LUIZ ROIZ
.
A procuradora-geral da Justiça Militar, Cláudia Márcia Ramalho Moreira Luz, visitou ontem as obras militares no Aeroporto de Guarulhos e, ao final de uma vistoria de três horas, disse que elas  “são motivo de orgulho, não só para o Exército mas para todo o Brasil”.

Ela ficou especialmente impressionada como fato de a equipe do “Destacamento Guarulhos” não apenas ter concluído a maior parte das obras antes do prazo, mas tê-las realizado com menos recursos do que os previstos em orçamento – cerca de 35% a menos, o que representou uma economia para os cofres públicos de R$ 150 milhões.

“Está havendo devolução de dinheiro público, isso é uma coisa formidável”, disse a procuradora, em entrevista exclusiva ao DG. “É a primeira vez que eu vejo isso.”
Segundo ela,  o papel do Ministério Público Militar não é apenas apontar e punir eventuais erros de militares, “mas também aplaudir o que está certo”.
“Vim até aqui para verificar in loco as obras e dar um testemunho, para que este exemplo se espalhe”, disse.
Informou que fará um relatório a respeito do que viu e o encaminhará ao comandante do Exército, general Enzo Peri.
As obras em questão são duas: a reforma da pista principal de 3.700 m por 45 m de largura, que já foi concluída entregue em dezembro (antes do prazo); e a terraplenagem e preparação do pátio de aeronaves do futuro Terminal Três do Aeroporto, numa área de 300 mil m2.
A obra do pátio deverá ficar pronta até o início do próximo ano, com seis meses de antecedência, segundo o coronel Carlos Alberto Maciel Teixeira, comandante da equipe militar (hoje, 80 pessoas) que coordena a operação, em conjunto com empreiteiras civis.
As duas obras estavam orçadas, inicialmente, em R$ 430 milhões; ao final, deverão custar cerca de R$ 280 milhões.
A procuradora foi recebida no Aeroporto, nesta quinta, 22, pelo general de brigada Wagner Oliveira Gonçalves, diretor de Obras de Cooperação do Departamento de Engenharia do Exército, e pelo tenente-coronel Carlos Alberto Maciel Teixeira, comandante da equipe de soldados e oficiais que toca as obras militares em Guarulhos.

Ela é procuradora há 17 anos e está concluindo (em abril) seu segundo mandato como chefe do Ministério Público Militar. Antes, foi promotora de justiça do Rio de Janeiro, seu estado de origem.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.