Anjos Caídos - Gibanet.com

Haveria a possibilidade desses anjos caídos temporariamente na senda do mal, viessem a afetar diretamente seus irmãos em humanidade na Terra quanto nos planos invisíveis? Sim, embora ante os estragos que causam o Bem sempre vence principalmente nesse caso em que veremos nesse capítulo.

Anjos-Caídos
Vamos analisar aqui o que André Luiz nos informa a respeito desses espíritos em trânsito nas fileiras da maledicência no livro em estudos “Obreiros da Vida Eterna” na psicografia do médium Chico Xavier. “Seriam tantos os malfeitores das sombras para justificar semelhante pavor?”. Como podemos notar, nosso ex-médico estava bastante preocupado quando assistia a luta com entidades trevosas que tentavam invadir a “Casa Transitória” em que estava sitiado. Observava ele por pequena abertura grande holofotes que se acendiam no seu exterior tentando iluminar aquele terreno por demais nevoento. Outra observação que deveremos levar em conta revelada por André: “Ruídos característicos (…) informava-nos que aparelhos elétricos haviam sido postos em funcionamento”. Muitos aqui devem ter passado indiferentes a esse assunto. Nessa “Casa Transitória” haviam, sim, geradores de energia também para situações como essa pela qual passava os seus residentes. Pergunto: Como essa energia elétrica funcionaria sem esses transformadores? Muitos devem estar pensando, pela força do pensamento. Não descarto esse meio, embora devemos convir que, nem sempre o pensamento está ajustado a certas situações como essa que estamos tratando aqui.
A diretora Zenóbia procurava asserenar um pouco a tensão que crescia em todos dizendo: “A tragédia bíblica da queda dos anjos luminosos, em abismos de trevas, repete-se todos os dias, sem que o percebamos em sentido direto”. Aqui temos um leque enormes de situações em que recorre a raça humana. Participamos todos os dias de notícias desagradáveis de tragédias que avassalam milhares de lares pelo mundo afora. E como é sutil essa aproximação que o ser humano não percebe bem a sua influenciação.
Devemos, sim, reforçar a nossa vigilância, pois somos facilmente afetados por hordas de espíritos que nos quer apenas nos fazer mal. Atingindo esse ideal conseguem eles adentrar, sem nenhuma cerimônia, o nosso mundo íntimo sem que, muitas vezes, nos atentemos do perigo iminente.
No caso aqui, espíritos trevosos querem de todo jeito atrapalhar o maravilhoso trabalho desses tarefeiros do bem em lugares onde as trevas reúnem aqueles infratores das Leis Divinas. Esses espíritos não são demônios criados à parte por Deus para atazanar a vida de encarnados e desencarnados, mas sim, homens sem o corpo físico que quando na Terra, não se importaram tanto em trilhar o caminho do bem. Retornando aos planos espirituais, são eles automaticamente atraídos a fazer parte da legião de espíritos que têm a mesma afinidade no mal. Devemos convir que esses espíritos não ficarão eternamente na prática do mal. Não sou eu quem diz essa verdade, mas sim, a Justiça Divina indefectível a nós vinculada. Cap.4-d