contos Archives - Gibanet.com

Arquivos de Categoria: contos

O Cavalo Cego

O Cavalo Cego 4

Na estrada de minha casa há um pasto. Dois cavalos vivem lá. De longe, parecem cavalos como os outros cavalos, mas, quando se olha bem, percebe-se que um deles é cego. Contudo, o dono não se desfez dele e arrumou-lhe um amigo – um cavalo mais jovem

Perdeu o Pé Para o Doce

Perdeu o Pé Para o Doce 5

Desde que nos tornamos independentes da dita metrópole portuguesa, somos livres, soberanos para não mais seguir os métodos rígidos da disciplina que o assimilado era obrigado a obedecer. Raramente encontraremos, se buscar, alguém que ainda se lembre desses métodos. Caminhamos com as nossas pernas e temos nossas metodologias do bom proceder.

Liderança Jiboia e negócio à vista

Liderança Jiboia e negócio à vista

“Nunca vi um gajo ordeiro como aquele”, dizia Albertino, um coelho observador e madrugador, chegava cedo ao escritório, disputando assiduidade com o seu chefe. Albertino chegava antes, mas em seguida seu chefe não tardava a chegar. Sempre ajoelhava, murmurava palavras indecifráveis e fazia sinal de cruz e levantava.

Pós ou Certificação, Educação Continuada

Pós ou Certificação, Educação Continuada

Na terra do calor e poeira, lá tão longe onde a chuva era vista raramente, vivia um pequeno camundongo que ruminava constantemente. Ele gostava de conversar com um Cágado de mais de 113 anos de idade, mas labutava como um mancebo de não mais que 18 anos. Era aquele velho réptil, admirado por todos, mas seu maior admirador era mesmo o camundongo que não perdia tempo, ficava horas conversando com ele:

Gerente Ubuntu – Humanidade para Todos

Gerente Ubuntu – Humanidade para Todos

Jarunalete foi-lhe permitido viver 113 anos, era a única biblioteca ambulante, que registrara em sua memória os acontecimentos e as tentativas de sobrevivência de sua língua. Não sobreviveu ao projeto Oralidade em TI, não contemplava esse item em seu escopo. As plantas foram catalogadas e suas fórmulas milagrosas transformadas em remédios em grandes laboratórios. Num dia infeliz Jarunalete acordou com mal estar. Foi socorrido por uma sobrinha que o levou ao hospital mais próximo.

A Desexistência

A Desexistência 7

Fosse possível desexistir Elsa não estaria mais aqui. Algo muito diferente de suicídio, morrer daquele modo perturbador impregnado de responsabilidade sobre os que ficariam. A desexistência não dói nem deixa vestígios. Ao atuar no presente, apaga todo o passado, as dores próprias e as de muita gente. Sua mãe não a teria parido, o marido não a teria conhecido, seus filhos não teriam existido. Sem recordações, sem tristezas e dores. Uma solução limpa. Consolo de peitoril de janela enquanto a vida passava lá embaixo.

O Que Aprender do Zé

O Que Aprender do Zé 8

Davambe . Em um tempo muito antes do advento tecnológico, havia uma hiena de nome Zé que vivia em uma fazenda árdua, não no deserto do Saara, mas no nordeste do país; como o nordeste sempre é desfavorecido na distribuição de recursos para desenvolvimento em qualquer governo, o Zé com a família lá vivia cercado de fome, muita fome. [leia mais…]

Ego em TI

Ego em TI

Davambe . . A desolação era geral lá na terra dos Elefantes, próximo de murunduá. Remota terra. Sem pássaro nem carência, depois que o Leão tomou conta as propriedades prosperaram, mas alguém se tornara insuportável. Creio que o caríssimo leitor ainda se lembra do “Leopardo que Urinava no Cágado”. A notícia do fato chegou ao povoado [leia mais…]

Esqueci de Ti

Esqueci de ti

Maria Marçal . De repente, como num golpe, o tempo se aproxima de ti irrompendo sentimentos armazenados propositalmente distantes dos olhos, da mente com a finalidade de não nos ferir, não retomar lembranças … E, nesses celeres momentos de recordações,percebemos que havíamos esquecido aquela pessoa tão importante em certa fase da vida… Percebemos que, se [leia mais…]

Avaliando o Risco

Avaliando o Risco

Davambe . O Papagaio apareceu como salvação para ensinar aos passarinhos a voarem mais alto, a fim de escaparem dos predadores. Havia no caminho um pássaro preguiçoso que não gostava de caçar o seu alimento, mas apreciava uma boa refeição. Ele ficava  a curtir o sol enquanto os demais trabalhavam. Porém  a fome era cruel [leia mais…]

Quando o Dente Assume a Gestão

Quando o Dente Assume a Gestão

Davambe . . O Leão foi convidado a almoçar com os elefantes, afinal era dia de festas, véspera do ano novo. Durante o saborear de frescas carnes o Leão sente que fraturou o dente, não demonstra inquietação e decide engoli-lo. Engoliu o dente e também a satisfação que sentia de estar na recepção. Emudeceu, sentiu [leia mais…]

Pele da Vênus

Uma forma diferente de amar

Paredes roxas. Um colchão velho, nu e encardido jogado no meio do cômodo sujo. Ele, ajoelhado sobre a espuma fedida com os braços acorrentados ao teto deixando seu tronco esticado, está ali há pelo menos duas horas, e eu sentada numa cadeira no canto escuro do quarto

AH BOWAKAWA POUSSÉ, POUSSÉ

AH BOWAKAWA POUSSÉ, POUSSÉ

Débora Gimenes / Debby Lenon Baseado na musica #9 Dream O quarto ainda estava escuro. Apesar de ter dormido a noite toda, ainda estava com muito sono. Um vulto apareceu entre o vão da porta, ficou me observando por alguns segundos e depois sumiu entre passos pesados. Não tive medo, sabia quem era. Pelo calor [leia mais…]

Que Delícia te Admirar, Meu Amor !

Que Delícia te Admirar, Meu Amor ! 9

Maria Marçal E dois olhos, dois corpos, dois pensamentos se põem a se admirar… Mutuamente se acasalam em beijos, mergulhando numa paixão que chega impaciente, desejosos que essa atração nunca acabe. Admirar com encanto! Uma delícia encontrar quem nos admire, seja pela capacidade intelectual, no profissionalismo, no aconchego da cama, na roda de amigos. Admirar [leia mais…]

Conto de Natal

Conto de Natal 12

Rosângela Barreto (Rose)   A história é simples, mas comovedora. Tudo começou porque Mike odiava o Natal. Claro que não odiava o verdadeiro sentido do Natal, mas seus aspectos comerciais. Os gastos excessivos, a corrida frenética na última hora para comprar presentes para alguém da parentela de que se havia esquecido. Sabendo como ele se sentia, um certo ano a esposa [leia mais…]

De Um Livro Neste Natal

De Um Livro Neste Natal 14

Debora Gimenes / Debby Lenon Oi, pessoal! Faltam alguns dias para o natal! E ai já pensou o que vão dar de presente para a família e amigos? Sugiro que de um livro de presente. De preferencia de um autor nacional. As antologias que estou participando estão em promoção se você adquirir comigo. Os Títulos [leia mais…]

O Zôo da TI

O Zôo da TI 16

Davambe   O Leopardo tinha hábitos de armazenar em seu computador a documentação de seus projetos. Isso irritava o leão que achava que uma das melhores práticas para compartilhar conhecimento era criar um repositório centralizado. Não perto dali estava o cágado que eventualmente colocava a cabeça para fora do casco para espiar a desavença dos dois. Era capaz de acreditar que oLeão comeria o Leopardo. Enfiava novamente [leia mais…]

Noticias Fresquinhas!

Noticias Fresquinhas! 18

O Corpo Débora Gimenes/ Debby Lenon   Capitulo V – Noticias Fresquinhas!   A policia estava a pelo menos duas horas recolhendo evidencias do seqüestro de Debby. Andando de um lado para o outro Saulo falava ao celular, estava nervoso e chateado com a pessoa do outro lado da linha, parecia exigir a presença dele. [leia mais…]

Encontros e Desencontros

Encontros e Desencontros 20

O Corpo Débora Gimenes/ Debby Lenon   Capitulo IV – Encontros e Desencontros   Debby estacionou o opala no subsolo do Sesc Pinheiros. Apressou-se para entrar no elevador. Apertou o segundo andar e observa a porta fechando enquanto batia seu pé esquerdo nervosamente: – Esteja ai, por favor! – pensava a ruiva em voz alta. [leia mais…]

Os Dois Josés. O Ninguém e o Karacek

Os Dois Josés. O Ninguém e o Karacek 23

O corpo Débora Gimenes/ Debby Lenon   Capitulo III- Os dois Josés. O Ninguém e o Karacek   Debby havia conhecido José Antonio Karacek um ano antes. Quando pesquisava o mal de Duchenne, para um dos contos que escrevera em seu livro. Sempre amável, o gremista JK, como ela carinhosamente o chamava mudou-se para São [leia mais…]

Preso Por um Tempo

Preso Por um Tempo 25

André Lubesi Era manhã de domingo em um pequeno vilarejo da Itália, quando o jovem Dr. Eru foi acordado aos gritos por um garoto que pedia socorro. O menino balbuciava algumas palavras que o jovem medico não compreendia, mas pelo o pouco que entendeu pode perceber que havia uma menina em  um vilarejo próximo precisando [leia mais…]

Evidências

Evidências 28

O Corpo Débora Gimenes/ Debby Lenon   Capitulo II – Evidências   Os peritos da policia começaram a investigação. Fotos foram tiradas, impressões digitais catalogadas e um perímetro entre o quarteirão e a estação do metro, minuciosamente verificados, nada ali foi encontrado. Após registrar todo o local do crime os peritos permitiram que o médico [leia mais…]

O Messias

O Messias

Giba   Em novembro de 2009 participei de um concurso de contos promovido pelo blog O Lado Negro da Mente Humana, idealizado por nossa amiga Debby Lenon e que teve a organização de Debby Lenon, Sandra Franzoso e Sidney Sampaio. Onde para minha surpresa fui contemplado com o segundo lugar com o conto O Messias, sendo que [leia mais…]

O Corpo

O Corpo 32

Débora Gimenes/ Debby Lenon   Explicações: Essa novela foi encomendada pelo Gilberto (nosso querido Giba), trata-se de uma peoplefic, em homenagem aos colunistas do site. Qualquer semelhança com a vida real é mera coincidência.   CAPITULO I – Churrasquinho Paulista   O sol começava a aparecer na cidade de São Paulo. Na avenida Paulista os [leia mais…]

Acredite!

Acredite! 35

Rosângela Barreto (Rose)   Um viajante caminhava pelas margens de um grande lago de águas cristalinas, imaginando uma forma de chegar até o outro lado, aonde era seu destino. Suspirou, profundamente, enquanto tentava fixar o olhar no horizonte. A voz de um homem de cabelos brancos quebrou o silêncio momentâneo, oferecendo-se para transportá-lo. Era um [leia mais…]